PUBLICIDADE

Síria diz que ataque de Israel é apoio a terroristas armados

5 mai 2013 09h34
| atualizado às 16h58
ver comentários
Publicidade
Frame de vídeo mostra fumaça e chamas em Damasco após o ataque israelense
Frame de vídeo mostra fumaça e chamas em Damasco após o ataque israelense
Foto: AP

A agência de notícias Sana, porta-voz do regime sírio, qualificou o bombardeio israelense deste sábado na periferia de Damasco como "uma tentativa clara de ajudar os grupos terroristas armados depois dos fortes golpes que receberam", em alusão aos rebeldes que combatem o governo de Bashar al-Assad.

Nesta linha, a rede de televisão estatal informou que a "agressão israelense" foi acompanhada de "tentativas de grupos terroristas de atacar postos de controle militares em várias zonas", e especificou que as forças do regime conseguiram repelir esses ataques, deixando "mortos e feridos" entre os rebeldes.

O ministro da Informação da Síria, Omran Zoabi, também disse neste domingo que os ataques aéreos israelenses "abrem a porta para todas as possibilidades". Os comentários do ministro em uma coletiva à imprensa foram feitos após uma reunião de emergência do gabinete organizado para responder ao que uma fonte ocidental chamou de nova remessa de mísseis iranianos ao Hezbollah do Líbano.

O Exéricito Livre Sírio, um dos principais grupos armados no combate ao regime de Assad, disse que ataque aéreo israelense destruiu mais alvos do que os reconhecidos pelo governo, como armazéns de munição e bases da Guarda Republicana, segundo informou à agência EFE o porta-voz Qasem Saadedin.

Para Saadedin, este bombardeio "não quer dizer que Israel defenda o povo sírio, mas reagiu para proteger sua segurança e impedir que o regime de Bashar al-Assad transfira mísseis com capacidade de levar armas químicas ao sul do Líbano", reduto do grupo radical xiita Hezbollah, aliado de Damasco.

Entre os alvos atacados, segundo a fonte, há três quartéis militares que pertencem à tropa de elite da Guarda Republicana, na região de Qudsiya, além de um silo de mísseis Scud em Maareba e outro de mísseis iranianos Fateh, nessa mesma área. Além disso, os bombardeios destruíram armazéns de munição localizados no monte Qasiyun, perto de Damasco, um edifício militar em Al Hameh e o centro de pesquisa militar de Jamaraya, o único caso sobre o qual o governo sírio informou.

Síria diz que sofreu ataque de Israel; veja explosões:

Por sua vez, o ministro de Turismo de Israel, Uzi Landau, justificou hoje qualquer ação de seu país para impedir que "certas armas" cheguem às mãos de grupos terroristas.

Algumas das instalações militares atacadas durante a noite foram bombardeadas no final de janeiro em um ataque similar, do qual Israel não se responsabilizou. O bombardeio de hoje ocorreu cerca de 24 horas após outro ataque com mísseis a um comboio com armas aparentemente destinadas ao Hezbollah.

EFE   
Publicidade
Publicidade