0

Seis imigrantes morrem ao tentar chegar à costa italiana

10 ago 2013
09h37
atualizado às 10h19

Ao menos seis imigrantes morreram e mais de cem foram resgatados neste sábado quando tentavam chegar em plena noite a uma praia de Catânia, na ilha italiana da Sicília, indicou à AFP um funcionário da capitania que disse que provavelmente são provenientes de Síria e Egito.

"Fomos alertados às 05h30 locais (00h30 de Brasília) de que uma embarcação havia encalhado em frente a um balneário" em uma praia de Catânia, explicou à AFP o comandante Roberto D'Arrigo, porta-voz da capitania do porto da grande cidade siciliana.

A embarcação, um barco pesqueiro de 18 metros de comprimento, encalhou a 15 metros da costa. "A maioria dos imigrantes se lançou à água" ao ver o litoral, acrescentou o comandante.

Os corpos sem vida de dois imigrantes foram encontrados na praia enquanto os "restos de outras quatro pessoas foram retirados da água pelos bombeiros", perto do barco, segundo este porta-voz.

Um menino de três anos, em estado de desidratação, e uma mulher grávida foram hospitalizados como medida de precaução.

Até o momento não se sabe de onde a embarcação partiu, mas a viagem teria durado uma semana.

O comandante D'Arrigo também indicou que os passageiros eram todos "jovens adultos" e que "entre as vítimas figura um jovem de 15 ou 16 anos".

"Quando chegamos, um grande número de pessoas já estava na praia", explicou D'Arrigo, referindo-se a um total de "91 imigrantes, sírios e egípcios (...) que estão atualmente no porto para serem identificados".

No entanto, fontes policiais falaram de ao menos 120 pessoas na embarcação.

Dario Monteforte, dono do estabelecimento Lido Verde que alertou as autoridades, declarou ao canal Sky TG24 ter visto "uma multidão de jovens na praia correndo em direção à estrada".

Monteforte, visivelmente abalado, decidiu fechar sua loja no fim de semana. "Temos que fazer algo, é uma tragédia sem fim", declarou.

Mergulhadores e bombeiros exploraram durante várias horas a zona ao redor do barco de pesca para verificar se havia outras vítimas.

Segundo o comandante D'Arrigo, o desembarque de imigrantes em uma praia da Catânia é "completamente incomum" porque normalmente chegam mais ao sul da Sicília, na região de Siracusa, ou na ilha de Lampedusa.

O comandante pensa que os imigrantes "se dirigiram à praia ao ver a costa".

Por sua vez, outros quarenta imigrantes, todos sírios e em sua maioria menores, foram resgatados e chegaram a Siracusa na manhã deste sábado.

Segundo números da ONU, mais de 100.000 pessoas morreram na Síria desde março de 2011, quando teve início uma revolta contra o regime do presidente Bashar al-Assad que se converteu progressivamente em uma guerra civil.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade