0

Rússia condena novas sanções dos EUA ao Irã

1 ago 2013
07h19
atualizado às 07h44
  • separator
  • 0
  • comentários

A Rússia disse nesta quinta-feira que a aprovação pela Câmara dos Deputados dos EUA de um reforço às sanções contra o Irã não vai ajudar a resolver a disputa sobre o programa nuclear de Teerã.

Os parlamentares americanos aprovaram um projeto de lei, na quarta-feira, que vai reduzir as exportações de petróleo do Irã a quase zero, em uma tentativa de reduzir o fluxo de recursos para o programa nuclear iraniano e enviar uma mensagem forte ao Irã antes da posse do presidente eleito, Hassan Rouhani.

O vice-chanceler russo, Gennady Gatilov, disse que as sanções do Conselho de Segurança da ONU que já estão em vigor contra Teerã são suficientes. Ele sugeriu que o projeto de lei dos EUA, que ainda tem mais etapas a percorrer antes de se tornar lei, é contraproducente.

"As sanções adicionais são realmente voltadas para o estrangulamento econômico do Irã, mas não para resolver o problema da não-proliferação", disse Gatilov à agência de notícias Interfax. "O que tem sido feito através do Conselho de Segurança é bastante adequado e suficiente."

As potências mundiais esperam que o novo líder relativamente moderado do Irã cumpra com as exigências feitas a Teerã para recuar com a atividade nuclear, que suspeitam ter por objetivo permitir a fabricação de bombas. O Irã diz que as atividades nucleares são exclusivamente para fins civis.

O presidente russo, Vladimir Putin, deverá pressionar por concessões do Irã sobre seu programa nuclear quando encontrar Rouhani pela primeira vez, em setembro, no Quirguistão. A Rússia é um membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, com poder de veto, e uma das seis potências mundiais envolvidas nas negociações sobre o programa nuclear iraniano.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade