0

Rebeldes sírios rejeitam convite russo para negociar com Assad

30 jan 2012
14h40
atualizado às 15h14

ÇO Conselho Nacional Sírio (CNS) descartou nesta segunda-feira o convite feito pela Rússia para que o governo de Bashar al Assad e a oposição do país negociem um acordo em Moscou, afirmou para a Agência Efe o dirigente opositor Ahmed Ramadã.

O rebelde disse que ainda não tinha recebido o pedido e rejeitou a proposta para dialogar com o regime do presidente sírio. "Só aceitamos negociar sobre um governo provisório sem a presença de Assad e de qualquer outra pessoa manchada de sangue", afirmou o dirigente do CNS, um dos principais órgãos opositores do país. A proposta russa é "uma tentativa de manipulação do projeto que está se preparando no Conselho de Segurança da ONU", acrescentou.

Ramadã se pronunciou após a agência russa Interfax divulgar que o Conselho Nacional Sírio recebeu o convite e estava estudando a proposta, apesar de condenar o apoio de Moscou ao Governo sírio. "O regime precisa deixar o poder e a Síria precisa começar um novo período sem assassinos", afirmou Ramadã. Segundo a ONU, até o momento já morreram mais de cinco mil pessoas desde que começaram os conflitos no país, em março do ano passado.

A Chancelaria russa informou nesta segunda-feira que o regime de Assad aceitou o convite para negociar em Moscou com a oposição um acordo para pôr fim à crise sem a interferência da comunidade internacional.

Nesta terça-feira uma delegação da Liga Árabe se reunirá com o Conselho de Segurança da ONU para buscar apoio da organização à condenação ao governo sírio. A proposta árabe estipula, entre outros pontos, que Assad transfira o poder ao vice-presidente e forme um governo de coalizão nacional antes da elaboração de uma nova Constituição e a convocação de eleições, o que já foi rejeitado pelo regime sírio.

Moscou, que em outubro vetou ao lado da China o projeto europeu de condenação a Damasco, disse na semana passada que fará o mesmo com a iniciativa da Liga Árabe.

EFE   
publicidade