0

Presidente da Itália encerra discussões e pode nomear premiê na quarta-feira

23 abr 2013
20h10

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, concluiu nesta terça-feira uma rápida rodada de negociações com os partidos e deve nomear um novo primeiro-ministro já na quarta-feira, encerrando um impasse político que se prolonga desde a inconclusiva eleição parlamentar de fevereiro.

O Partido Democrático, de centro-esquerda, elegeu a maior bancada, mas não conseguiu formar maioria no Senado e, por isso, precisaria estabelecer uma coalizão. Mas o PD rejeitou durante dois meses um acordo com o Povo da Liberdade (PDL), bloco centro-direitista do ex-premiê Silvio Berlusconi, e foi esnobado pelo partido alternativo Movimento 5 Estrelas, do comediante Beppe Grillo.

No entanto nesta terça-feira, o líder da delegação do PD, Enrico Letta, disse que seu partido estaria disposto a participar de uma coalizão ampla, conforme propôs Napolitano na segunda-feira ao Parlamento.

"Vamos aderir às escolhas que o presidente da República fizer amanhã (quarta-feira)", disse Letta a jornalistas após reunião no palácio presidencial, encerrando um dia de consultas.

Napolitano, que na segunda-feira criticou os partidos por sua incapacidade de promover reformas econômicas e institucionais, defendeu uma aliança que inclua o PD e o PDL, de Berlusconi.

Derrotado nas urnas, Berlusconi vem se fortalecendo desde então, aproveitando a crise interna na centro-esquerda. Uma pesquisa da agência Tecne divulgada nesta terça-feira mostrou que a centro-direita teria hoje uma vantagem de 8 pontos percentuais sobre os rivais.

Existe uma ampla expectativa de que Napolitano, de 87 anos, irá nomear o ex-premiê Giuliano Amato para o cargo. Nesta terça-feira, circulou também o nome do jovem prefeito centro-esquerdista de Florença, Matteo Renzi, que no entanto rejeitou fortemente a hipótese de ser indicado. Letta também chegou a ser citado na imprensa como um possível nome.

A expectativa de que um novo governo seja formado nesta semana voltou a animar os mercados financeiros da Itália. Os juros pagos sobre os títulos italianos com vencimento em dez anos caíram a menos de 4 por cento pela primeira vez desde 2010.

Napolitano se tornou no fim de semana o primeiro presidente italiano a ser reeleito, depois de sucessivos turnos de votação sem que nenhum candidato obtivesse a maioria necessária no Parlamento.

O cargo de presidente é em grande parte protocolar, mas tem papel importante na formação do governo. O impasse em torno da eleição presidencial indireta acabou levando à renúncia do líder do PD, Pier Luigi Bersani.

(Reportagem adicional de Massimiliano Di Giorgio, Philip Pullella e Steve Scherer)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade