0

Pelo menos 100 mortos em bombardeios na região de Damasco

21 ago 2013
06h13
atualizado às 07h58

Pelo menos 100 pessoas morreram nesta quarta-feira em bombardeios de grande intensidade contra redutos rebeldes nos subúrbios de Damasco, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

De acordo com um comunicado da ONG, o balanço certamente aumentará, pois os "ataques e bombardeios continuam".

O OSDH, que conta com uma ampla rede de ativistas e fontes médicas e militares, não se pronunciou sobre o possível uso de armas químicas pelas forças do regime de Bashar al-Assad, denunciado por ativistas.

Os militantes contrários ao regime informaram quase 500 mortes. De acordo com eles, as vítimas faleceram em consequência da inalação de gases tóxicos e pelo uso de armas químicas.

Os Comitês Populares de Coordenação (LCC) anunciaram que os ataques deixaram "centenas de mártires, além de centenas de feridos, essencialmente civis, incluindo dezenas de mulheres e crianças, mortos pelo uso de gases tóxicos por parte do regime criminoso contra as localidades da Ghuta Oriental".

Também acusam o regime de ter cometido um "crime indescritível com armas químicas".

A comissão geral de revolução síria divulgou vídeos no YouTube que mostram, segundo a organização, um "massacre cometido pelas forças do regime com gases tóxicos, provocando várias dezenas de mártires e de feridos".

As autoridades sírias negaram o uso de armas químicas.

"As informações sobre a utilização de armas químicas na Ghuta (subúrbio de Damasco) são totalmente falsas", afirmou a agência oficial Sana.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade
publicidade