2 eventos ao vivo

Oposição iemenita convoca protestos contra presidente

1 fev 2011
19h20
atualizado às 20h37

A oposição iemenita convocou um dia de protestos, que batizou como "dia de ira", para a próxima quinta-feira contra o regime do presidente Ali Abdullah Saleh, no poder desde 1990.

A manifestação acontecerá no centro da capital, segundo os panfletos distribuídos pela oposição em Sanaa.

Por sua vez, o governante Congresso Geral do Povo (GPC) organizou outra manifestação nesse dia para expressar seu apoio a Saleh.

O protesto se desenvolverá um dia depois de o chefe de Estado comparecer diante do Parlamento em reunião de emergência na qual deve anunciar se ele se apresentará às eleições presidenciais de 2013 e falar sobre várias emendas à Constituição, que lhe permitiriam se manter no cargo.

Segundo a atual Constituição iemenita, que foi emendada em duas ocasiões desde a unificação do país em 1999, só é permitido ao presidente se candidatar em duas eleições.

Antes de 1999 não havia restrições ao mandato presidencial.

Saleh ocupa a Presidência desde 1990 e foi reeleito em 1999 e 2006.

Deputados da oposição disseram à Agência Efe que esperam que Saleh anuncie que não vai se apresentar ao pleito de 2013 para acalmar o ânimo da população.

Na quinta-feira passada, milhares de pessoas convocadas pelos principais partidos da oposição iemenita exigiram a Saleh que não reformasse a Constituição para se candidatar a uma nova reeleição.

A queda do presidente Zine El Abidine Ben Ali suscitou tensões políticas em outros países árabes, como no Egito, a nação árabe mais povoada, e o Iêmen, uma das nações que corre mais riscos de uma grave desestabilização política.

O Iêmen é a nação mais pobre do mundo árabe. Além disso, o regime de Saleh está exposto às ações contínuas da Al Qaeda, que tem bases neste país, uma tentativa de secessão do sul e uma rebelião xiita no norte que atua esporadicamente.

EFE   
publicidade