1 evento ao vivo

ONU confirma destruição de bombas e ogivas de arsenal químico da Síria

O envio da missão foi acertado entre Estados Unidos e Rússia, depois do ataque com armas químicas em 21 de agosto em Damasco

6 out 2013
18h11
atualizado às 20h41
  • separator
  • comentários

A Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou que uma equipe de especialistas internacionais destruiu ogivas, bombas e equipamentos para misturar produtos químicos, neste domingo, no primeiro dia da campanha para desmantelar o arsenal de armas químicas da Síria.

<p>O conflito na Síria já deixou cerca de 100 mil mortos</p>
O conflito na Síria já deixou cerca de 100 mil mortos
Foto: Reuters

Os especialistas supervisionaram o pessoal sírio, que "usou maçaricos e máquinas trituradoras para destruir, ou inutilizar, uma gama de objetos" - de acordo com nota divulgada pela ONU e pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq).

"O processo de destruição do programa de armas químicas sírias começou hoje", informou o organismo, confirmando os comentários iniciais de um agente da ONU em Damasco. "O processo continuará nos próximos dias", completou a nota. A equipe internacional também está "observando, verificando e reportando", se o governo de Bashar al-Assad forneceu as informações corretas sobre seu arsenal químico.

Os especialistas da ONU e da Opaq chegaram a Damasco para começar as verificações das armas químicas, assim como sua destruição, no âmbito da resolução do Conselho de Segurança da ONU aprovada em 27 de setembro.

A resolução apoia o plano russo-americano enviado à Opaq para o desmantelamento das armas químicas sírias, depois do ataque de gás sarin que matou centenas de pessoas em agosto passado. De acordo com o plano, as instalações de mistura e produção de elementos químicos devem ser destruídas até 1º de novembro.

Na segunda-feira, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, enviará um relatório ao Conselho de Segurança da ONU com mais detalhes da logística dessa operação inédita de desarmamento, considerada uma das maiores e mais perigosas, já que a Síria ainda está em guerra.

Mais de 100 mil pessoas morreram no conflito na Síria, que começou no início de 2011 com manifestações pacíficas que defendiam a democracia, mas acabaram se degenerando em uma guerra civil.

Guerra na Síria para iniciantes
AFP AFP
AFP AFP
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade