0

OCI denuncia assassinato 'bárbaro' de soldado em Londres

23 mai 2013
13h13
atualizado às 13h44

A Organização da Cooperação Islâmica (OCI) condenou nesta quinta-feira o assassinato "bárbaro" de um soldado que foi esfaqueado por dois homens supostamente jihadistas, em um ato sem ligação com o Islã, segundo ela.

"Este assassinato brutal e bárbaro (...) foi um ato criminoso e escandaloso", declarou um porta-voz da organização islâmica, acrescentando em um comunicado que este ato não deve "ser ligado ao Islã, que prega a paz e rejeita o terrorismo".

Ele reafirmou "a posição firme e inabalável da OCI contra todas as formas de terrorismo, incluindo o ódio, a violência e a intolerância com base na religião".

O porta-voz pediu "moderação" e se disse confiante de que a "tradição de tolerância da sociedade multirreligiosa e multirracial na Grã-Bretanha não será abalada por este incidente".

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, considerou o assassinato um ataque ao Reino Unido e uma "traição ao Islã", insistindo em que o extremismo será vencido.

Quarta-feira à tarde, dois homens atacaram com facas de cozinha e um cutelo um soldado sem uniforme militar em uma rua do sudeste de Londres.

Os dois permaneceram no local do crime e pediram aos pedestres, incluindo crianças, que fotografassem ou filmassem a vítima, que estava no chão.

Para vários especialistas britânicos, este foi um ato isolado cometido por "lobos solitários" doutrinados em fóruns na internet, que difundem vídeos sangrentos de decapitações e execuções em Síria, Afeganistão e Iraque cometidas por grupos radicais islâmicos que seguem a ideologia radical da Al-Qaeda.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade