1 evento ao vivo

Ministro sírio culpa premiê turco "assassino" por atentado na fronteira

Explosões de carros-bomba mataram 46 pessoas na cidade de Reyhanli no sábado

13 mai 2013
07h46
atualizado às 08h14
  • separator
  • 0
  • comentários

O ministro da Informação sírio culpou o governo da Turquia pelas explosões de carros-bomba perto da fronteira com a Síria, e chamou o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, de "assassino", disse a emissora estatal de televisão russa RT nesta segunda-feira.

"Toda responsabilidade pelo que aconteceu encontra-se com o governo turco e com Erdogan pessoalmente", disse Omran Zubi em entrevista ao canal em língua árabe da RT. "Exijo sua renúncia como um assassino e um carrasco. Ele não tem o direito de construir uma carreira política sobre o sangue dos povos turco e sírio", disse Zubi à RT.

A emissora disse que o ministro repetiu a negação de envolvimento sírio com os carros-bomba que mataram 46 pessoas na cidade fronteiriça turca de Reyhanli, no sábado. A Turquia acusou um grupo ligado à inteligência síria pela realização dos ataques.

Erdogan disse no domingo que a Turquia "não vai cair na armadilha que eles estão tentando nos empurrar", mas acrescentou: "Quem atinge a Turquia, mais cedo ou mais tarde, vai pagar o preço".

Falando na TV estatal síria no mesmo dia, Zubi disse que Damasco não tinha participação nas explosões em Reyhanli e culpou a Turquia pelo derramamento de sangue na Síria, dizendo que o país tinha ajudado rebeldes liderados pela Al-Qaeda. Os carros-bomba aumentaram temores de que a guerra civil na Síria se espalhe para países vizinhos.

De acordo com um grupo de oposição, mais de 82 mil pessoas foram mortas na Síria desde o início da repressão do governo aos protestos contra o regime do presidente Bashar al-Assad, em março de 2011.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade