PUBLICIDADE

Líder supremo do Irã não descarta diálogo com os EUA

21 jul 2013 17h16
| atualizado às 18h05
ver comentários
Publicidade

O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, não descartou o diálogo com os EUA, embora tenha lembrado que "não é otimista" com relação a isso e considerado que o país em questão não é confiável, informou neste domingo a agência estudantil de notícias iraniana, "Isna".

"Na interação com o mundo, não devemos nos esquecer da atuação de nossos inimigos, ainda se por conveniência não lembremos deles", disse o líder supremo iraniano em um encontro com funcionários do país.

Khamenei lembrou que no começo deste ano já havia falado que não "era otimista" com relação a um diálogo direto com os EUA, "embora nos últimos anos não tenha rejeitado a negociação em casos específicos como o Iraque".

"Os americanos não são confiáveis, são irracionais e suas atitudes não são honestas", reiterou hoje o líder supremo iraniano.

Por sua vez, o presidente eleito iraniano, o moderado Hassan Rohaní, afirmou que o Irã "não busca seguir com as tensões" na relação com os Estados Unidos, país que disse que deve admitir que "não se intrometerá em assuntos internos do Irã e reconhecerá seus direitos, inclusive os nucleares".

Rohani assegurou que sente "que há uma nova oportunidade para interagir com o mundo".

"Se usarmos essa oportunidade, será beneficente para as duas partes, para o Irã e para o resto do mundo", acrescentou o presidente, para quem as sanções impostas a seu país não convêm ao Ocidente. "Só convêm a Israel".

EFE   
Publicidade
Publicidade