0

Israel fecha aeroporto na fronteira com Egito e cita segurança

8 ago 2013
16h52
atualizado às 16h57

Israel tomou a rara decisão de fechar seu aeroporto de Eilat, perto da Península do Sinai, no Egito, por duas horas nesta quinta-feira, citando preocupações com segurança, informaram autoridades militares.

Uma porta-voz militar disse que o campo de aviação da cidade no Mar Vermelho foi fechado "devido a avaliações de segurança". Duas horas mais tarde, um oficial militar e a Rádio Israel disseram que o aeroporto tinha sido reaberto.

O aeroporto da cidade espremida entre a Jordânia e o Egito é a porta de entrada de turistas ao resort de Eilat, em Israel, e o fechamento resultou de preocupações cada vez maiores sobre a atividade militante islâmica no vizinho Sinai.

O tráfego aéreo muitas vezes é interrompido em Eilat por ventos do deserto.

Israel afirmou no mês passado que tinha reforçado suas defesas com foguetes perto de sua fronteira sul para combater possíveis ataques de militantes profundamente contrários ao Estado judeu.

Um foguete disparado a partir do Sinai atingiu Israel em julho e seus destroços foram encontrados em colinas ao norte de Eilat, que tem o Egito a oeste e a Jordânia a leste.

A violência no Sinai aumentou desde que o Exército depôs o presidente islâmico do Egito Mohamed Mursi em 3 de julho, com ataques quase diários contra forças egípcias no deserto.

O Exército do Egito disse na quarta-feira que matou 60 militantes no Sinai no mês, desde a queda de Mursi, e que 64 militantes foram feridos na campanha do Sinai entre 5 de julho e 4 de agosto.

Os militantes mataram cerca de 40 pessoas, incluindo funcionários de segurança egípcios neste período, disseram autoridades médicas do Egito.

(Reportagem de Dan Williams em Jerusalém, e Omar Fahmy, Maggie Fick e Shadia Nasralla no Cairo)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade