PUBLICIDADE

Imprensa israelense vê "novo país" após protestos de sábado

7 ago 2011 08h28
| atualizado às 09h17
Publicidade

O protesto social em Israel, que mobilizou no sábado mais de 300.000 manifestantes, não tem precedentes no país e representa um grande desafio para o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, afirma a imprensa israelense.

"Um novo país", "Israel está nas ruas", destaca na primeira página o Yediot Aharonot, principal jornal do país.

"Netanyahu e seus ministros não poderão ignorar este grito, porque expressa uma força que ameaça sua permanência no poder", afirma o colunista Nahoum Barnea.

"Me parece que esta é a maior manifestação de desconfiança já organizada nas ruas de Tel Aviv", escreveu Sima Kadmon, analista político da publicação.

"O povo levantou", afirma o jornal Maariv, que tem na primeira página uma foto das ruas lotadas.

"Nem esquerda, nem direita, nem centro, nem marginais. É o povo de Israel que está descontente com a vida aqui, com o sistema injusto que permite a uma minoria seguir na farra às custas das massas esmagadas", criticou Ben Caspit em um editorial.

O jornal de esquerda Haaretz também exibe na primeira página fotos das ruas de Tel Aviv lotadas.

Gideon Levy escreveu que um "regime que permanece impávido ante uma manifestação gigantesca está destinado a cair".

O protesto de sábado exigiu "justiça social" no país.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade