6 eventos ao vivo

Comandante rebelde sírio visita o front em província natal de Assad

12 ago 2013
09h49
atualizado às 09h53

O chefe do Exército Livre Sírio rebelde visitou a província costeira de Latakia, de acordo com imagens de vídeo, uma demonstração de força na província natal da família do presidente Bashar al-Assad.

Várias aldeias em Latakia, que é um reduto da seita alauíta de Assad, foram invadidas por muçulmanos sunitas insurgentes nos últimos dias.

O general Salim Idriss, que lidera o Supremo Conselho Militar rebelde, aparece em um vídeo publicado na Internet no domingo usando vestimenta casual e um coldre de ombro em pé ao ar livre, com montanhas ao fundo.

Falando aos rebeldes, ele disse estar em Latakia para ver os "importantes sucessos e vitórias que os nossos revolucionários obtiveram na frente costeira".

A Reuters não pode verificar independentemente os relatos devido a graves restrições de segurança e reportagem.

As forças de Idriss são apoiadas pelo Ocidente, mas a ofensiva em Latakia está sendo liderada por dois grupos ligados à Al Qaeda que mataram centenas de pessoas este mês e empurraram outras centenas em busca de refúgio na costa do Mediterrâneo.

Com poucos recursos e fragmentados, os homens de Idriss foram ofuscados por esses grupos radicais e alguns líderes rebeldes mais moderados foram mortos em lutas de poder com as afiliadas da Al Qaeda, incluindo combatentes estrangeiros.

Um grupo, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, emitiu um comunicado no domingo dizendo que seus militantes islâmicos estavam agora à distância de "um tiro de pedra de Qurdaha", cidade natal da família Assad. O grupo disse que os militantes haviam disparado foguetes contra a cidade.

O avanço dos rebeldes em território alauíta é um grande ganho para os inimigos de Assad, após meses de retrocessos durante o qual eles perderam terreno em torno da capital Damasco e na cidade central de Homs.

(Por Oliver Holmes)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade