2 eventos ao vivo

Annan pede governo de unidade nacional na Síria, dizem enviados

27 jun 2012
21h08
atualizado às 22h30

A Rússia e outras grandes potências disseram ao mediador internacional da crise síria, Kofi Annan, que apoiam sua ideia de um governo de unidade nacional na Síria que incluiria membros do governo e da oposição, mas excluiria aqueles cuja participação minaria os esforços, disseram diplomatas nesta quarta-feira.

Kofi Annan sugeriu gestão com membros do governo e da oposição na Síria
Kofi Annan sugeriu gestão com membros do governo e da oposição na Síria
Foto: Reuters

Crise na Síria: origens, capítulos, impasses e destinos
Luta por liberdade revoluciona norte africano e península arábica

A proposta é um dos principais tópicos que a Rússia, os outros quatro membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e atores-chave do Oriente Médio discutirão em uma reunião em Genebra no sábado sobre os 16 meses de conflito na Síria, afirmaram à Reuters diplomatas sob condição de anonimato.

Um diplomata resumiu a proposta de Annan, dizendo que o conflito na Síria só pode terminar quando todos os lados enxergarem uma forma pacífica para um futuro compartilhado. Annan deixou claro que era "fundamental que (qualquer) decisão (seja) irreversível, (com) etapas de transição claras em um cronograma fixo", disse ele.

"Isso inclui o estabelecimento de um governo de unidade nacional de transição para criar um fundo neutro para a transição", disse o diplomata, resumindo a proposta de Annan.

"Poderá abranger membros atuais do governo, da oposição e outros, mas teria de excluir aqueles cuja participação ou presença continuada colocaria em risco a credibilidade da transição, ou prejudicaria as perspectivas para a reconciliação e a estabilidade."

O diplomata acrescentou que a ideia de excluir certas pessoas se referia claramente ao presidente sírio, Bashar al-Assad, embora a proposta de Annan não diga explicitamente que Assad poderia não fazer parte de um governo de unidade nacional.

"Os russos sinalizaram a Annan que aceitam o seu plano de transição", disse ele. Vários diplomatas ocidentais confirmaram suas observações, acrescentando que todos os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU com poder de veto apoiaram a iniciativa.

A missão russa na Organização das Nações Unidas não estava disponível para comentar o assunto.

Annan condicionou a aceitação de suas diretrizes para a transição política na Síria à organização da reunião de sábado, que incluirá Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia, China, Turquia, Iraque, Kuweit e Catar. Irã e Arábia Saudita não participarão.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade