PUBLICIDADE

Acabou o tempo para negociações com Irã, diz ministro israelense

20 set 2013 - 08h31
(atualizado às 08h37)
Ver comentários
Publicidade

O Irã está a caminho de desenvolver uma bomba nuclear dentro de seis meses, e o tempo acabou para a realização de novas negociações, disse um ministro israelense nesta sexta-feira. O ministro de Assuntos Estratégicos, Yuval Steinitz, disse que o Irã ainda acredita que tem espaço para manobras nas negociações com as potências mundiais, e que a República Islâmica só vai encerrar suas atividades nucleares se enfrentar uma ameaça firme de ação militar dos EUA.

"Não há mais tempo para realizar negociações", disse Steinitz, que é próximo ao premiê Benjamin Netanyahu, em entrevista ao jornal israelense Hayom, publicada nesta sexta-feira.

Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que Teerã esteja trabalhando em busca de construir armas nucleares, mas o Irã insiste que seu programa atômico tem apenas fins pacíficos.

Durante os quatro anos de negociações sobre o programa nuclear iraniano, nos quais sanções da ONU atingiram a economia do país, o Irã avançou em suas capacidades atômicas, segundo Steinitz. "Se os iranianos continuarem correndo, em mais meio ano eles terão a capacidade para uma bomba", disse.

Israel tem minimizado a busca do novo presidente iraniano, Hassan Rouhani, de engajar-se com o Ocidente. Em entrevista a uma emissora de TV dos EUA, Rouhani inclusive afirmou que o Irã nunca vai desenvolver armas nucleares. Em resposta, o gabinete de Netanyahu disse na quinta-feira: "Ninguém deve ser enganado pelas palavras fraudulentas do presidente iraniano. Os iranianos estão girando na mídia para que as centrífugas possam continuar girando".

<a data-cke-saved-href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/especial-ira/" href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/especial-ira/">O que esperar de um país frequentemente associado ao extremismo religioso, fechado em torno do manto da Revolução Islâmica e governado por um regime teocrático conhecido por suas práticas que ferem grande parte dos princípios ocidentais de igualdade, liberdade, democracia e direitos humanos? Conheça o outro lado do Irã</a>
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade