0

Observadores internacionais chegam a Jamaica para acompanhar eleições gerais

24 fev 2016
12h24
  • separator
  • comentários

Mais de 1,8 milhão de jamaicanos escolherão amanhã, nas eleições gerais da ilha caribenha, os 63 deputados que formarão o novo parlamento, em um pleito que será monitorado por duas delegações de observadores, da Comunidade do Caribe (Caricom) e da Organização dos Estados Americanos (OEA), que chegaram nesta quarta-feira a Kingston.

O Partido Nacional Popular (PNP), liderado pela atual primeira-ministra, Portia Simpson Miller, e o principal da oposição, o Partido Trabalhista da Jamaica (JLP), dirigido por Andrew Holness, indicaram, cada um, 63 candidatos. Outros 25 candidatos de partidos menores ou independentes apresentaram candidaturas.

O PNP e o JLP focaram a campanha na atração de investimentos estrangeiros e dar impulso à economia nacional.

O partido governante aposta em continuar com a expansão da Zona Econômica Especial para aumentar os investimentos estrangeiros e acelerar o programa econômico centrado no setor de logística, enquanto o JLP propõe criar um conselho especial de embaixadores de investimentos e potencializar as alianças público-privadas.

Miller, que tenta a reeleição, propõe criar pelo menos 100 mil novos empregos nos próximos cinco anos.

O ex-diretor de Eleições da Jamaica, Danville Walker, expressou esta semana sua preocupação com o risco de irregularidades na eleição, e afirmou à imprensa local que embora o sistema eleitoral tenha evoluído significativamente ainda há práticas de corrupção que podem afetar o processo de apuração de votos.

A Caricom enviou um grupo de 11 observadores, liderado pela diretora do Escritório de Eleições de Belize, Josephine Tamai, que se reuniu com os dois principais partidos da ilha.

"O papel da missão será observar o processo eleitoral, reunir informação sobre os resultados, supervisionar e analisar as ocorrências, além de colaborar na preparação de um relatório final sobre as eleições gerais da Jamaica", detalha o comunicado.

O grupo de observadores espera se reunir antes do começo da jornada eleitoral com representantes de partidos minoritários, o comissário da polícia , a Comissão Eleitoral da Jamaica e a Câmara de Comércio local, assim como com a imprensa .

Além da Caricom, a OEA enviou uma missão à ilha composta por 21 observadores de 17 países e dirigidos pela ex-promotora geral e ex-ministra de Relações Exteriores das Bahamas, Janet Bostwick.

Ambos devem visitar os centros de votação em diferentes cidades da ilha caribenha durante as eleições de amanhã.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade