Sites relacionados
João Paulo II


Fale conosco

 Notícias por e-mail
O Novo Papa
Frases: Papa criticou do rock ao casamento gay
 
BBC Brasil
O novo papa é considerado um conservador por suas posições
O novo papa é considerado um conservador por suas posições
Saiba mais
» Rezei para alguém mais forte ser eleito, diz Papa
» Bento XVI retoma na quarta audiências do Papa
» Papa assegura que irá 'em breve' a Baviera
» 'Meu programa é ouvir Deus', diz Papa Bento XVI
» Sodano continuará sendo secretário do Vaticano
» Joseph Ratzinger é eleito o novo papa
» Perfil: conheça o Sumo Pontífice
Multimídia
Animações
» Como se elege o novo papa
Animações
Áudio e vídeo
» Papa quebra protocolo e desfila de papamóvel
» Papa diz que veio para servir, não reverenciado
Galeria de fotos
» Bento XVI recebe fiéis alemães
» Papa Bento XVI conduz sua missa inaugural
» Presentes comemoram missa inaugural
» Papa Bento XVI passeia de papamóvel
O novo papa, Bento XVI, é conhecido por expressar abertamente as suas posições conservadoras. Como cardeal, Joseph Ratzinger já criticou do rock'n'roll à união de homossexuais. A seguir, leia as opiniões dele sobre assuntos que dividem setores conservadores e progressistas dentro e fora da Igreja Católica.

» Fotos do novo pontífice
» Vídeo: conclave escolhe Ratzinger, o papa Bento XVI

Sobre gays
"Embora a inclinação particular de uma pessoa homossexual não seja um pecado, é mais ou menos uma tendência que vem de um mal moral intrínseco, e, portanto, a inclinação em si pode ser vista como uma desordem de objetivo."
(1986, na carta aos bispos da Igreja Católica sobre o cuidado pastoral de gays)

"Acima de tudo, nós temos que ter grande respeito por essas pessoas que também sofrem e querem encontrar a sua maneira de viver corretamente. Por outro lado, criar uma forma de casamento homossexual, na realidade, não ajuda essas pessoas."
(idem)

Sobre a legalização da união de homossexuais
"É destrutiva para a família e para a sociedade. O direito cria uma forma de moral, já que as pessoas consideram freqüentemente que o que diz o direito também é moralmente lícito. E, se considerarmos essa união mais ou menos equivalente ao matrimônio, temos uma sociedade que já não reconhece as características e nem o caráter fundamental da família, ou seja, que é próprio do homem e da mulher, que tem a finalidade de dar continuidade, não só no sentido biológico, à humanidade."
(em entrevista ao jornal La Repubblica em 2004)

Sobre os abusos sexuais envolvendo sacerdotes da Igreja
"Na Igreja, padres também são pecadores. Mas eu estou pessoalmente convencido de que a constante presença dos pecados dos padres católicos na imprensa, especialmente nos Estados Unidos, é uma campanha planejada, já que a porcentagem dessas infrações entre padres não é mais alta do que em outras categorias, e talvez seja ainda mais baixa."
(dezembro de 2002)

Sobre o catolicismo em relação ao Islã
"O Islã é multiforme, não se pode reduzir à ala terrorista ou à ala moderada. Há interpretações sunitas, xiitas, etc. Culturalmente, existe uma grande diferença entre Indonésia, África ou a Península Arábica, e talvez esteja se formando também um Islã com características européias, que aceita elementos de nossa cultura. Em todo caso, para nós, é um desafio positivo a firme fé em Deus dos muçulmanos, a consciência de que estamos todos sob o juízo de Deus, junto com um certo patrimônio moral e a observação de algumas normas que demonstram que a fé, para viver, necessita expressões comuns, algo que perdemos em certa medida."
(em entrevista ao jornal a Repubblica em 2004)

Sobre o lugar de Deus na sociedade moderna
"Muito marginalizado. Na vida política, parece quase indecente falar de Deus, como se fosse um ataque à liberdade de quem não crê. O mundo político segue suas normas e caminhos, excluindo Deus como algo que não é deste mundo. A mesma coisa acontece no comércio, na economia e na vida privada. Deus fica à margem. Para mim parece necessário voltar a descobrir, e existem forças para isso, que também a esfera política e econômica precisa de uma responsabilidade moral, que nasce do coração do homem e está ligada à presença ou ausência de Deus. Uma sociedade em que Deus está totalmente ausente se autodestrói."
(idem)

Sobre judeus
"Que os judeus são ligados à Deus de uma maneira especial e que Deus não quer que essa ligação fracasse é inteiramente óbvio."

"Aguardamos o momento em que Israel vai dizer 'sim' a Cristo, mas sabemos que tem uma missão especial na história agora."
(em livro de sua autoria, publicado em 2000)

Sobre a ordenação de mulheres
"O fato de a Igreja estar convencida de que não conferir a ordenação às mulheres agora é visto por alguns como incompatível com a Constituição européia."

Sobre rock
"Um veículo anti-religião."
(em 1988)

Sobre aborto e eutanásia
"Claro pecado grave."
(durante a campanha das eleições presidenciais americanas no ano passado)

Sobre ele mesmo
"Após o papa João Paulo II, os cardeais me elegeram ¿ um simples, humilde trabalhador nas vinhas do Senhor."
(ao ser anunciado o novo papa)

Sobre o antecessor, João Paulo II
"Nós podemos ter certeza de que o nosso amado papa está na janela da casa do Senhor, de onde ele nos vê e nos abençoa."

"Hoje nós enterramos os seus restos na terra como uma semente da imortalidade. Os nossos corações estão cheios de tristeza, mas ao mesmo tempo de uma alegre esperança e de uma gratidão profunda."
(durante a homilia que fez no funeral de João Paulo II)

Sobre a fé
"Nós estamos caminhando para uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e tem como valor máximo o ego e os desejos individuais".
(durante uma missa na Basílica de São Pedro, pouco antes do início do conclave e um dia antes de ser eleito)

Sobre a entrada da Turquia na União Européia
"A Turquia sempre representou um continente diferente, em contraste permanente com a Europa".
(em entrevista ao jornal francês Le Figaro, em 2004)
 

BBC Brasil

BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.