inclusão de arquivo javascript

 
 

Chefes da insurgência iraquiana morrem em tiroteio com policiais

26 de abril de 2006 13h57

Um chefe de um grupo insurgente iraquiano e seu ajudante morreram em um confronto com a Polícia na província de Salahedin, cerca de 175 quilômetros ao norte de Bagdá, informaram hoje fontes de segurança locais.

Os dois morreram na segunda-feira passada, em um tiroteio que também causou a morte de quatro agentes de segurança, entre eles o chefe da delegacia da localidade de Tel Kasaiba, cerca de 30 quilômetros ao leste da cidade de Tikrit, capital de Salahedin, disseram as fontes, que não quiseram se identificar.

O líder rebelde que morreu, identificado como Rabea Benian, era o responsável das operações insurgentes ao oeste do rio Tigre, em uma área que se estende do norte da localidade de Faluja - ao oeste da capital -, até o sul da cidade de Mossul, cerca de 420 quilômetros ao norte de Bagdá.

O ajudante Taleb Abu Muchtaq, era oficial do Exército do deposto presidente iraquiano, Saddam Hussein, disseram as fontes, acrescentando que esses dois insurgentes eram acusados de cometer ataques, assassinatos e seqüestros contra civis e forças de segurança iraquianas.

Por último, as fontes revelaram que Benian e Muchtaq estavam com dois cintos de explosivos, usados em ataques suicidas, granadas de mão, e outros tipos de armas e munição.

Além disso, o comando americano informou hoje que suas tropas mataram um suposto insurgente em um enfrentamento ocorrido na terça-feira nas proximidades da cidade de Samerra, cerca de 125 quilômetros ao norte de Bagdá.

O tiroteio começou quando soldados da 101ª Brigada Aerotransportada do Exército dos EUA no Iraque surpreenderam três insurgentes preparando um ataque com morteiros contra uma posição militar americana, afirma um comunicado.

Segundo a nota, dois insurgentes conseguiram fugir do local e deixaram um carro abandonado, onde foram encontradas 13 bombas.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.