inclusão de arquivo javascript

 
 

Bonecas lésbicas geram polêmica nos Estados Unidos

07 de novembro de 2005 20h17 atualizado às 20h31

Lojas colocarão as bonecas religiosas (foto) ao lado das lésbicas. Foto: Divulgação

Lojas colocarão as bonecas religiosas (foto) ao lado das lésbicas
Foto: Divulgação

A comercialização de uma boneca lésbica está gerando polêmica nos Estados Unidos. Segundo o Instituto Brasileiro Giovanni Falconi (IGBF), no centro do conflito estão a organização American Family Association (Associação da Família Americana, em inglês), formada por conservadores de ultra-direita da sociedade americana, e a empresa American Girl, que produz o brinquedo.

A American Girl é uma tradicional fábrica de bonecas. Sua principal estratégia para as vendas do Natal 2005 foi colocar na linha American Girl Today bonecas de perfil "gay-lésbico". Em contrapartida, a American Family tenta boicotar as vendas da boneca e recomendaram seus integrantes e simpatizantes a protestar contra o produto. Em um só dia, donos de lojas receberam cerca de 100 mil mensagens contra a venda da boneca lésbica.

O protesto não se destina somente ao conteúdo do gênero sexual do brinquedo. A American Girl é uma grande colaboradora dos movimentos em favor da liberação do aborto - o que teria acirrado a briga entre as organizações e a fábrica.

Contudo, as lojas e magazines se vêem frente a uma grande possibilidade de aumento nas vendas para o Natal - o que acabaria com o boicote. A estratégia seria colocar as bonecas lésbicas em uma mesma vitrine que as bonecas que carregam bíblias nas mãos, reconhecidas por seu conteúdo religioso e moralista.

Redação Terra