inclusão de arquivo javascript

 
 

Escândalos derrubam popularidade da família real britânica

20 de novembro de 2002 08h34

Escândalos derrubam popularidade da família real britânica A família real britânica enfrenta sua pior crise desde a morte da princesa Diana, em 1997. De acordo com uma pesquisa publicada hoje, a popularidade da monarquia inglesa despencou para o pior nível em 15 anos.

Acusações de estupro e fraude por parte de assessores do príncipe Charles, além do julgamento do ex-mordomo de Diana Paul Burrell e suas revelações dos segredos da realeza britânica, fizeram a popularidade da Casa de Windsor cair para 43%. No início do ano, durante o funeral da Rainha Mãe e as celebrações do Jubileu de Ouro da rainha Elizabeth, este índice era de 59%. O novo dado, apresentado no jornal The Guardian, é o menor índice desde o início da medição, em 1987.

A pesquisa feita pelo ICM ouviu mil adultos ouvidos na semana passada. Eles foram questionados se o país seria melhor ou pior sem a família real. O número de britânicos que acredita que o país seria melhor sem a família real chegou a 31 por cento, cinco pontos percentuais acima da pesquisa anterior, mas perto do índice registrado após a morte de Diana, em 1997, em um acidente de carro em Paris. Vinte e seis por cento dos entrevistados não souberam responder se a Grã-Bretanha seria melhor ou pior sem a família real - quase o dobro do verificado em maio.

Nas últimas semanas, tanto Charles quanto a rainha foram acusados de encobrir a verdade. O príncipe devido a uma investigação interna sobre acusações de estupro, e a rainha em razão de sua intervenção de última hora no julgamento de Burrell. O ex-mordomo vendeu sua história sobre a vida no palácio a um jornal sensacionalista, provocando uma enxurrada de histórias sobre segredos da família real e as atividades de seus serventes.

Um funcionário da família afirmou que um integrante da equipe do príncipe Charles o estuprou em 1989 e não foi punido. Depois veio a acusação de que um assessor de Charles vendeu presentes indesejados do príncipe em benefício próprio. Ambas histórias são veementemente negadas pelos envolvidos. Na tentativa de reduzir os danos a sua imagem, Charles anunciou o início de uma investigação. No entanto, ele conseguiu apenas atear mais fogo nos escândalos ao indicar seu secretário particular para chefiar as investigações, e não um agente independente.

Mas, apesar dos escândalos - e para alívio da família real -, 60% dos entrevistados acham que o caso Burrell terá um impacto de curto prazo na reputação da realeza britânica.
Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.