inclusão de arquivo javascript

 
 

Extrema-direita dos EUA divulga cartazes contra radicais islâmicos

22 de setembro de 2012 00h31 atualizado às 02h46

Em qualquer guerra entre o homem civilizado e o selvagem apoie o civilizado, apoie Israel e combata a Jihad, dizem os cartazes. Foto: AP

"Em qualquer guerra entre o homem civilizado e o selvagem apoie o civilizado, apoie Israel e combata a Jihad", dizem os cartazes
Foto: AP

Um grupo americano de extrema-direita colocará cartazes, a partir desta segunda-feira, no metrô de Nova York afirmando que os muçulmanos agem como "selvagens", informou nesta sexta-feira uma responsável da organização.

"Em qualquer guerra entre o homem civilizado e o selvagem apoie o civilizado, apoie Israel e combata a Jihad", dizem os cartazes, pagos pelo American Freedom Defense Initiative (Iniciativa Americana de Defesa da Liberdade/AFDI).

Em declaração à rede de televisão CNN, a líder do AFDI Pamela Geller justificou o uso da palavra "selvagem" alegando que os promotores da Jihad - a guerra santa islâmica - tomam pessoas inocentes como objetivo.

"Acredito que qualquer guerra contra civis inocentes seja uma selvageria", disse a ativista conservadora à CNN.

Segundo Geller, os anúncios do AFDI não são contra qualquer religião, porque em nenhum momento citam as palavras Islã e muçulmano.

O Southern Poverty Law Center, que monitora grupos extremistas, descreve Geller como "a cabeça mais visível dos movimentos antimuçulmanos" nos Estados Unidos.

O polêmico cartaz surge no momento em que o mundo muçulmano protesta contra um filme produzido nos Estados Unidos que ridiculariza o profeta Maomé.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.