inclusão de arquivo javascript

 
 

Princesa nega culpa pela morte de Grace Kelly

09 de outubro de 2002 16h43

A princesa Estefania de Mônaco nega os rumores de que estava ao volante do carro no momento do acidente que matou sua mãe, Grace Kelly, e afirma que fez todo o possível para detê-lo. As declarações foram feitas em uma entrevista a várias revistas com a qual rompe pela primeira vez seu silêncio de 20 anos sobre o assunto.

Estefanía tinha 17 anos no ano do acidente, em 13 de setembro de 1982. Um relatório menciona que o câmbio automático estava na posição "park". "Como estava me preparando para tirar carteira de motorista, sabia que tinha que colocá-lo em "park" para parar o veículo", afirma a princesa. "Se minha mãe confundiu o pedal do freio com o do acelerador? Não sei. O que está claro é que eu não dirigia", comenta Estefania na entrevista publicada pelos semanários Paris Match, Bunte e Ola.

Estefania nega também que na véspera do acidente tenha discutido com sua mãe e que teria tirado o carro da garagem da vila Roc Angel, de onde partiram naquele dia, porque "não há garagem nesta propriedade, por isso não vejo como poderia ter tirado o carro". Com relação ao fato de ter saído do veículo acidentado pela porta do motorista e não pela do passageiro, a princesa justifica que sua porta estava travada, inutilizada com a batida.

A princesa, que disse não sentir-se culpada "porque não tem nada com o acidente", afirmou que quebra agora o silêncio que tinha mantido sobre os fatos para proteger seus filhos, Louis, Pauline e Camille, e porque se sentiu "vítima dos meios de comunicação e da opinião pública". Grace Kelly nasceu em 1929 nos Estados Unidos, onde fez uma grande carreira como atriz antes de casar-se com o príncipe Rainier de Mônaco em 1956.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.