inclusão de arquivo javascript

 
 

Rebeldes líbios anunciam começo da "libertação de Trípoli"

21 de agosto de 2011 04h57 atualizado às 07h14

Rebeldes líbios correm para s esconder durante os combates contra as forças do regime de Muammar Kadafi perto da floresta Gadayem, a oeste de Trípoli. Foto: AFP

Rebeldes líbios correm para s esconder durante os combates contra as forças do regime de Muammar Kadafi perto da floresta Gadayem, a oeste de Trípoli
Foto: AFP

As forças armadas da rebelião líbia, que lutam há sete meses para derrotar o regime do coronel Muammar Kadafi, anunciaram neste domingo o começo da "libertação de Trípoli". Um dos insurgentes, que se identificou como Abu Bakr el Misrata, declarou para a televisão Al Jazeera que a sublevação começou "desde o coração da cidade, ante a chegada próxima das forças rebeldes.

O representante rebelde sustentou que os primeiros combates entre insurgentes e as brigadas fiéis ao regime já aconteceram em vários bairros.

Líbia: de protestos contra Kadafi a guerra civil e intervenção internacional
Motivados pela onda de protestos que levaram à queda os longevos presidentes da Tunísia e do Egito, os líbios começaram a sair às ruas das principais cidades do país em meados de fevereiro para contestar o líder Muammar Kadafi, no comando do país desde a revolução de 1969. Mais de um mês depois, no entanto, os protestos evoluíram para uma guerra civil que cindiu a Líbia em batalhas pelo controle de cidades estratégicas.

A violência dos confrontos entre as forças de Kadafi e a resistência rebelde, durante os quais milhares morreram e multidões fugiram do país, gerou a reação da comunidade internacional. Após medidas mais simbólicas que efetivas, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a instauração de uma zona de exclusão aérea no país. Menos de 48 horas depois, no dia 21 de março, começou a ofensiva da coalizão, com ataques de França, Reino Unido e Estados Unidos.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.