inclusão de arquivo javascript

 
 

Oposição diz que 8 mil já morreram no levante contra Kadafi

20 de março de 2011 18h05 atualizado em 21 de março de 2011 às 17h54

Apoiador de Kadafi aparece morto em Benghazi, reduto da resistência rebelde. Foto: Reuters

Apoiador de Kadafi aparece morto em Benghazi, reduto da resistência rebelde
Foto: Reuters

O vice-presidente e porta-voz do Conselho de Transição da Líbia (CNT), Abdel Hafid Ghoga, declarou neste domingo à rede de televisão Al Jazeera que pelo menos 8 mil pessoas morreram na Líbia desde fevereiro na tentativa de derrubar o regime de Muammar Kadafi. Ghoga acrescentou que milhares de pessoas ficaram feridas, muitas delas em estado grave.

"Desde o começo da revolta, as forças do ditador Kadafi executaram verdadeiras expedições para exterminar civis líbios", afirmou o vice-presidente do CNT. Ghoga assinalou que estas operações foram realizadas de Zouara, no extremo oeste do país, até Tobruk, no extremo leste, e acrescentou que há "uma verdadeira guerra contra o povo líbio".

O porta-voz do órgão político dos rebeldes explicou que é preciso frear este "genocídio" e os revolucionários lançaram um apelo à comunidade internacional para que intervenha na instauração de uma zona de exclusão aérea. Ghoga acrescentou que apesar da decisão do Conselho de Segurança da ONU e dos ataques das forças aéreas aliadas, as tropas fiéis a Kadafi continuam os massacres, e assegurou que líder líbio continua ainda neste domingo suas operações contra as cidades de Zenten e Misrata.

Testemunhas afirmaram a emissoras de televisão árabes que carros das forças do regime atacaram neste domingo o centro de Misrata, cidade sob controle rebelde situada cerca de 150 km ao leste de Trípoli, onde ocorreram violentos combates.

Cindida entre rebeldes e forças de Kadafi, Líbia mergulha em guerra civil
Motivados pela onda de protestos que levaram à queda os longevos presidentes da Tunísia e do Egito, os líbios começaram a sair às ruas das principais cidades do país em meados de fevereiro para contestar o líder Muammar Kadafi, no comando do país desde a revolução de 1969. Entretanto, enquanto os casos tunisiano e egípcio evoluíram e se resolveram principalmente por meio protestos pacíficos, a situação da Líbia tomou contornos bem distintos, beirando uma guerra civil.

Após semanas de violentos confrontos diários em nome do controle de cidades estratégicas, a Líbia se encontrava atualmente dividida entre áreas dominadas pelas forças de Kadafi e redutos da resistência rebeldes. Mais recentemente, no entanto, os revolucionários viram seus grandes avanços a locais como Sirte e o porto petrolífero de Ras Lanuf serem minados no contra-ataque de Kadafi, que retomou áreas no centro da Líbia e se aproxima das portas de Benghazi, a capital da resistência rebelde, no leste líbio.

Essa contra-ofensiva governista mudou a postura da comunidade internacional. Até então adotando medidas mais simbólicas que efetivas, ao Conselho de Segurança da ONU aprovou em 17 de março a determinação de uma zona de exclusão aérea na Líbia. Menos de 48 horas depois, enquanto os confrontos persistiam, França, Reino Unido e Estados Unidos iniciaram ataques. Mais de mil pessoas morreram, e dezenas de milhares já fugiram do país.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
  1. 17 de março - Em Trípoli, estudantes que apoiam Muammar Kadafi protestam em frente à sede da missão da ONU  Foto: AFP

    17 de março - Em Trípoli, estudantes que apoiam Muammar Kadafi protestam em frente à sede da missão da ONU

    AFP
    Foto: AFP

  2. 16 de março - Soldados aliados a Kadafi mostram armas e comemoram o avanço das tropas, em Ajdabiyah  Foto: Reuters

    16 de março - Soldados aliados a Kadafi mostram armas e comemoram o avanço das tropas, em Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  3. 16 de março - Militares de Muammar Kadafi monitoram uma das entradas da cidade de Ajdabiyah  Foto: Reuters

    16 de março - Militares de Muammar Kadafi monitoram uma das entradas da cidade de Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  4. 17 de março - Soldado aliado a Kadafi observa e testa arma anti-aviões, em Ajdabiyah  Foto: Reuters

    17 de março - Soldado aliado a Kadafi observa e testa arma anti-aviões, em Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  5. 17 de março - Soldados se reúnem em volta de lançadores de mísseis, em Ajdabiyah  Foto: Reuters

    17 de março - Soldados se reúnem em volta de lançadores de mísseis, em Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  6. 17 de março - Militar líbio exibe sua arma, em Ajdabiyah, durante viagem que o governo ofereceu a jornalistas  Foto: Reuters

    17 de março - Militar líbio exibe sua arma, em Ajdabiyah, durante viagem que o governo ofereceu a jornalistas

    Reuters
    Foto: Reuters

  7. 16 de março - Soldado do governo líbio fuma em frente a um dos portões da cidade de Ajdabiya  Foto: Reuters

    16 de março - Soldado do governo líbio fuma em frente a um dos portões da cidade de Ajdabiya

    Reuters
    Foto: Reuters

  8. 16 de março - Lançadores de mísseis do exército líbio são deslocados pelo deserto, em Ajdabiyah  Foto: Reuters

    16 de março - Lançadores de mísseis do exército líbio são deslocados pelo deserto, em Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  9. 16 de março - Militares aliados ao governo mostram fotos de Kadafi e manifestam seu apoio ao líder  Foto: Reuters

    16 de março - Militares aliados ao governo mostram fotos de Kadafi e manifestam seu apoio ao líder

    Reuters
    Foto: Reuters

  10. 16 de março - Militar aliado a Kadafi mostra sua arma em meio a outros soldados líbios, em Ajdabiyah  Foto: Reuters

    16 de março - Militar aliado a Kadafi mostra sua arma em meio a outros soldados líbios, em Ajdabiyah

    Reuters
    Foto: Reuters

  11. 16 de março - De um tanque, soldados líbios exibem munição durante viagem patrocinada pelo governo a jornalistas  Foto: Reuters

    16 de março - De um tanque, soldados líbios exibem munição durante viagem patrocinada pelo governo a jornalistas

    Reuters
    Foto: Reuters

  12. 16 de março - As forças aliadas a Kadafi se aproximaram da cidade de Benghazi  Foto: AP

    16 de março - As forças aliadas a Kadafi se aproximaram da cidade de Benghazi

    Foto: AP

  13. 16 de março - Tropas de Kadafi ofereceram a jornalistas uma viagem com militares, em Ajdabiya  Foto: AP

    16 de março - Tropas de Kadafi ofereceram a jornalistas uma viagem com militares, em Ajdabiya

    Foto: AP

  14. 16 de março - Soldado leal ao líder líbio mostra tatuagem que fez em homenagem a Muammar Kadafi, em Ajdabiya  Foto: AP

    16 de março - Soldado leal ao líder líbio mostra tatuagem que fez em homenagem a Muammar Kadafi, em Ajdabiya

    Foto: AP

  15. 16 de março - Soldados aliados a Muammar Kadafi mostram suas armas em cima de tanques, em Ajdabiya  Foto: AP

    16 de março - Soldados aliados a Muammar Kadafi mostram suas armas em cima de tanques, em Ajdabiya

    Foto: AP

/mundo/africa/intervencaonalibia/foto/0,,00.html