inclusão de arquivo javascript

 
 

Bruxelas critica administração de crise nuclear pelo Japão

16 de março de 2011 15h04 atualizado às 16h26

Vista aérea mostra a usina nuclear de Fukushima, danificada após o terremoto que atingiu o Japão. Foto: AFP

Vista aérea mostra a usina nuclear de Fukushima, danificada após o terremoto que atingiu o Japão
Foto: AFP

O comissário europeu de Energia criticou nesta quarta-feira a reação pouco profissional dos japoneses em relação à catástrofe na usina nuclear japonesa de Fukushima, considerando que o destino do país estava agora "nas mãos de Deus".

A maneira como a crise foi administrada e "os meios incríveis à disposição dos japoneses" me levam a "corrigir a alta consideração que tinha até o momento sobre a competência dos engenheiros, técnica e industrial, a perfeição e precisão dos japoneses", considerou Günther Oettinger.

"Os japoneses trabalham com hidrantes, tentam jogar água com hidroaviões, não sabem mais como sair dessa situação", acrescentou, ante uma comissão do Parlamento Europeu, "é uma verdadeira catástrofe e reage-se aos trancos". Ele ainda revelou que existem "divergências" entre a companhia de eletricidade japonesa Tokyo Electric Power (Tepco), que administra os reatores nucleares danificados, e o governo japonês sobre a resposta à crise.

O comissário, que já havia na véspera falado de um "apocalipse", referindo-se à situação na usina de Fukushima atingida pelo terremoto seguido de tsunami devastador de sexta-feira, mostrou-se novamente catastrófico. Agora, "temo que a situação esteja nas mãos de Deus", disse.

"Podemos dizer que esta instalação não está mais sob controle", julgou Oettinger, "certamente, ao longo das próximas horas, vão surgir desdobramentos catastróficos e riscos para a vida das pessoas na ilha".

A situação continua crítica nesta quarta-feira na usina nuclear de Fukushima, onde as autoridades japonesas lutam para impedir uma tragédia nuclear de grandes proporções. Após dois novos incêndios nos reatores 3 e 4, a radioatividade medida na entrada da central aumentou muito, baixando em seguida.

"É com terror que assistimos às imagens que chegam do Japão. Temo que não tenhamos ainda presenciado o fim dessa tragédia, de uma catástrofe internacional", declarou o comissário de Energia.

Terremoto e tsunami devastam Japão
Na sexta-feira, 11, o Japão foi devastado por um terremoto que, segundo o USGS, atingiu os 8,9 graus da escala Richter, gerando um tsunami que arrasou a costa nordeste nipônica. Fora os danos imediatos, o perigo atômico permanece o maior desafio. Diversos reatores foram afetados, e a situação é crítica em Fukushima, onde existe o temor de um desastre nuclear.

Juntos, o terremoto e o tsunami já deixaram mais de 4,3 mil mortos e dezenas de milhares de desaparecidos. Além disso, os prejuízos podem chegar a US$ 200 bilhões. Em meio a constantes réplicas do terremoto, o Japão trabalha para garantir a segurança dos sobreviventes e, aos poucos, iniciar a reconstrução das áreas devastadas.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
  1. O Japão confirmou no sábado que houve uma explosão e um vazamento radiativo na usina nuclear Fukushima Daiichi  Foto: AP

    O Japão confirmou no sábado que houve uma explosão e um vazamento radiativo na usina nuclear Fukushima Daiichi

    Foto: AP

  2. Estamos avaliando a causa e a situação e as tornaremos públicas assim que tivermos maiores informações, disse o governo  Foto: AP

    "Estamos avaliando a causa e a situação e as tornaremos públicas assim que tivermos maiores informações", disse o governo

    Foto: AP

  3. A explosão levantou temores de que ocorra um desastroso derretimento da usina, que foi danificada durante o tremor de 8,9 graus de magnitude  Foto: AP

    A explosão levantou temores de que ocorra um desastroso derretimento da usina, que foi danificada durante o tremor de 8,9 graus de magnitude

    Foto: AP

  4. A explosão ocorreu enquanto a Tokyo Electric Power Co (Tepco), operadora da usina, trabalhava desesperadamente para reduzir as pressões no núcleo do reator  Foto: AP

    A explosão ocorreu enquanto a Tokyo Electric Power Co (Tepco), operadora da usina, trabalhava desesperadamente para reduzir as pressões no núcleo do reator

    Foto: AP

  5. A emissora de televisão NHK e a agência de notícias Jiji disseram que a estrutura externa do edifício que abriga o reator aparentemente explodiu  Foto: AP

    A emissora de televisão 'NHK' e a agência de notícias 'Jiji' disseram que a estrutura externa do edifício que abriga o reator aparentemente explodiu

    Foto: AP

  6. A operadora da usina liberou anteriormente uma pequena quantidade de vapor radiativo para reduzir a pressão  Foto: AP

    A operadora da usina liberou anteriormente uma pequena quantidade de vapor radiativo para reduzir a pressão

    Foto: AP

  7. 12 de março - O número de indivíduos expostos à radiação do terremoto que atingiu a usina nuclear em Fukushima, nordeste do Japão, pode chegar a 160  Foto: AFP

    12 de março - O número de indivíduos expostos à radiação do terremoto que atingiu a usina nuclear em Fukushima, nordeste do Japão, pode chegar a 160

    AFP
    Foto: AFP

  8. 12 de março - Policiais vestem roupas especiais e máscaras de proteção contra radiação na usina de Fukushima, nordeste do Japão  Foto: Reuters

    12 de março - Policiais vestem roupas especiais e máscaras de proteção contra radiação na usina de Fukushima, nordeste do Japão

    Reuters
    Foto: Reuters

  9. 12 de março - vista aérea mostra como o terremoto danificou a usina nuclear de Fukushima na cidade japonesa de Futaba  Foto: AFP

    12 de março - vista aérea mostra como o terremoto danificou a usina nuclear de Fukushima na cidade japonesa de Futaba

    AFP
    Foto: AFP

  10.  A chanceler alemã, Angela Merkel, e o vice-chanceler, Guido Westerwelle, dizem durante coletiva de imprensa que a Alemanha vai analisar se é preciso tirar lições da explosão em uma usina nuclear japonesa  Foto: AP


    A chanceler alemã, Angela Merkel, e o vice-chanceler, Guido Westerwelle, dizem durante coletiva de imprensa que a Alemanha vai analisar se é preciso tirar lições da explosão em uma usina nuclear japonesa

    Foto: AP

  11. 12 de março - Policiais fazem ronda no entorno da usina nuclear Fukushima Daiichi com máscaras após explosão e risco de contaminação no local  Foto: Reuters

    12 de março - Policiais fazem ronda no entorno da usina nuclear Fukushima Daiichi com máscaras após explosão e risco de contaminação no local

    Reuters
    Foto: Reuters

/mundo/foto/0,,00.html