inclusão de arquivo javascript

 
 

Morre ex-premiê turco Erbakan, líder do islamismo político

27 de fevereiro de 2011 09h49 atualizado às 10h16

O ex-primeiro-ministro turco Necmettin Erbakan, principal líder do islamismo político da Turquia no século XX, morreu neste domingo em um hospital em Ancara, um dia antes de se completar 14 anos do golpe de Estado que o tirou do poder. A imprensa turca informou que o ex-líder, de 84 anos, estava internado desde o mês passado em um hospital da capital turca.

Chefe de governo entre 1996 e 1997, Erbakan liderava atualmente o Partido da Felicidade (SP), maior formação islâmica na Turquia. O atual primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, do Partido da Justiça e o Desenvolvimento (AKP), foi um de seus discípulos, mas, após a derrocada de Erbakan, abriram-se brechas dentro do movimento islâmico. Erdogan e outros dissidente fundaram o AKP, mais moderado e inspirado nos partidos democratas-cristãos europeus.

As posturas islâmicas de Erbakan sempre o mantiveram na mira dos militares, considerados os fiadores da defesa dos princípios laicos instaurados na década de 1920 pelo fundador do moderno Estado turco, Mustafa Kemal Atatürk.

Durante o Governo de Erbakan (1996-1997), a Turquia aprofundou relações diplomáticas com o Irã e a Líbia de Muammar Kadafi. Sua política externa, linguagem antilaica e políticas pró-islâmicas despertaram feroz oposição das elites laicas, o que culminaria no golpe de Estado de 1997.

Erbakan tinha inúmeros simpatizantes entre a comunidade turca que vive na Alemanha, por meio da associação ultraconservadora Milli Gorüs ("Visão Nacional").

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.