inclusão de arquivo javascript

 
 

Líder basco Otegi pede à ETA que decrete 'trégua permanente'

16 de outubro de 2010 21h57 atualizado às 23h09

O líder basco Arnaldo Otegi disse que o "recurso à violência armada" não é "compatível" com o separatismo e pediu ao grupo armado ETA que "decrete uma trégua permanente", em entrevista publicada na edição deste domingo do jornal El País.

Da prisão, o ex-porta-voz do Batasuna (partido considerado a vitrine política do ETA) destacou que caso sejam retomados os atentados do grupo clandestino, que atualmente respeita um cessar-fogo de contornos indefinidos, o Batasuna "se oporia e tais fatos".

"Não existe mais caminho para a independência que o que se desenvolve por vias pacíficas e democráticas. Não contemplamos compatível com a estratégia separatista o recurso à violência armada", afirmou.

Na longa entrevista, Otegi, líder emblemático da "esquerda separatista" basca, estimou que a retomada dos ataques do ETA era "uma hipótese para mim impossível ou altamente improvável, uma vez que o ETA anunciou o cessar de suas ações armadas".

Otegi está preso desde outubro de 2009 por ter tentado reconstruir a direção do Batasuna, partido proscrito na Espanha desde 2003 por vínculos com a organização separatista basca.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.