inclusão de arquivo javascript

 
 

Morre ex-ditador de Uganda Idi Amin Dada

16 de agosto de 2003 03h44 atualizado às 14h40

Ex-ditador da Uganda Idi Amin Dada morreu aos 80 anos na Arábia Saudita.. Foto: AP

Ex-ditador da Uganda Idi Amin Dada morreu aos 80 anos na Arábia Saudita.
Foto: AP

Idi Amin Dada, ex-ditador de Uganda durante quase toda a década de setenta, morreu ontem à noite em virtudes de complicações renais na clínica saudita na qual estava hospitalizado. A informação foi divulgada pela rádio estatal sul-africana.

Após sua queda do poder, que exerceu de forma despótica e sangrenta, Idi Amin se refugiou inicialmente na Líbia para exilar-se definitivamente na Arábia Saudita, onde as notícias sobre sua hospitalização começaram a ser divulgadas em julho.

A possibilidade de Amin Dada ser enterrado em seu país está sendo avaliada por um comitê especial, segundo uma fonte médica oficial, que pediu anonimato. O comitê está em contato com autoridades do hospital do rei Faysal, na Arábia Saudita, onde o ditador morreu.

Amin era praticamente analfabeto quando se alistou nas forças coloniais britânicas em 1945 aos vinte anos e exerceu a função de policial no Quênia. Quando Uganda conseguiu a independência em 1962, ele se alistou no Exército de seu país de origem onde em 1964 chegou a coronel.

Sua carreira política começou ao conspirar a favor do então primeiro-ministro Milton Obote e protagonizar como comandante na chefia do Exército o sangrento golpe de estado que derrocou o rei Mutesa II em 1966 e colocou na Presidência seu mentor.

Em janeiro de 1971 derrocou por sua vez Milton Obote, quando este estava de viagem oficial a Cingapura e, desde então, inaugurou um regime de terror e excentricidades que causaram diretamente a morte de um número próximo a meio milhão de seus compatriotas.

Em 11 de abril de 1979 - quando os meios de imprensa do mundo inteiro falavam de suas exibições de selvageria - foi derrubado do poder pelas diversas facções opositoras a seu regime articuladas na Frente de Libertação de Uganda, apoiada pelo então presidente da Tanzânia Julius Nyerere.

Redação Terra
  1. Imagem capturada de um vídeo, em 1971, mostra o ditador Idi Amin Dada.  Foto: Reuters

    Imagem capturada de um vídeo, em 1971, mostra o ditador Idi Amin Dada.

    Reuters
    Foto: Reuters

  2. Idi Amin, acusado da morte de milhares de pessoas nos anos 70, morreu em um hospital na Arábia Saudita.  Foto: Reuters

    Idi Amin, acusado da morte de milhares de pessoas nos anos 70, morreu em um hospital na Arábia Saudita.

    Reuters
    Foto: Reuters

  3. O ex-ditador Idi Amin morreu em um hospital da Arábia Saudita, onde ele vivia em exílio desde 1979.  Foto: AP

    O ex-ditador Idi Amin morreu em um hospital da Arábia Saudita, onde ele vivia em exílio desde 1979.

    Foto: AP

  4. Idi Amin, caracterizado como bizarro e de comportamento homicida, morreu na Arábia Saudita.  Foto: AP

    Idi Amin, caracterizado como bizarro e de comportamento homicida, morreu na Arábia Saudita.

    Foto: AP

  5. Foto de arquivo que mostra Idi Amin participando de uma conferência da Liga Árabe, no Cairo, em 1977.  Foto: AP

    Foto de arquivo que mostra Idi Amin participando de uma conferência da Liga Árabe, no Cairo, em 1977.

    Foto: AP

  6. Idi Amin Dada participa de uma conferência da Organization of African Unity, em Kampala.  Foto: AP

    Idi Amin Dada participa de uma conferência da Organization of African Unity, em Kampala.

    Foto: AP

  7. Ex-ditador Idi Amin posa para foto tirada em agosto de 1978.  Foto: AP

    Ex-ditador Idi Amin posa para foto tirada em agosto de 1978.

    Foto: AP

/mundo/foto/0,,00.html