Sites relacionados
O novo papa

Fale conosco

 Notícias por e-mail
João Paulo II
Terça, 5 de abril de 2005, 10h32 
Portugal terá luto oficial em memória do Papa
 
Saiba mais
» Cardeal mexicano é a segunda baixa no conclave
» Vaticano avalia beatificação do Papa, diz jornal
» Cardeal de Roma tenta abafar curiosidade sobre novo papa
» Próximo papa decide beatificação de João Paulo II
» Papa é enterrado; 1 milhão assistem à missa
» Fiéis pedem a canonização de João Paulo
» Lula acompanha sepultamento do Papa
» 15 mil soldados patrulham Roma
» 7 mil assistem em telão na Notre Dame
» Fidel minimiza peso do Papa na queda do comunismo
» Números: o pontificado de João Paulo II
Multimídia
Animações
» Como se elege um novo papa
» Todos os papas do século XX
» Viagens de João Paulo II
Áudio e vídeo
» Cardeal lembra do amor do Papa aos jovens
» Reveja a última aparição pública do Papa
Sites relacionados
Externo
» Fotos: imagens do Papa
» Vídeo: imagens do Papa
» Troque mensagens no chat do Terra sobre João Paulo II
 Últimas de João Paulo II
» Religioso pede gravação do coração de João Paulo II
» João Paulo II será beatificado por milagre francês
» Carro de João Paulo II é vendido por US$ 690 mil
» Começam as audições para beatificar João Paulo II
O governo português decretou hoje luto nacional de 6 a 8 de abril, em memória do papa João Paulo II, segundo um comunicado expedido por um conselho de ministros extraordinário.

» Veja todas as fotos
» Veja todos os vídeos
» Especial: saiba como será a sucessão

O comunicado da reunião presidida pelo primeiro-ministro, José Sócrates, afirma que esse luto é "expressão da justa homenagem do Estado português ao papa".

Na nota, o governo de Portugal afirma que o Pontífice "foi para todo o mundo, e especialmente para os católicos, uma importante referência, ao serviço dos decisivos valores da paz, da tolerância e da justiça".

"Seguramente uma das maiores e mais prestigiadas figuras do século XX, João Paulo II foi um grande amigo de Portugal, que visitou várias vezes, trazendo consigo mensagens de fé e de solidariedade", acrescenta a nota oficial.

Além disso, o governo lembra que foi o papa "quem orientou superiormente, pelo lado do Vaticano, a conclusão da recente Concordata entre Portugal e a Santa Sé, que exprime em novos moldes o quadro do especial relacionamento entre o nosso País e a Igreja Católica".

No sábado passado, apenas duas horas depois do falecimento do Pontífice, Sócrates anunciou, numa mensagem na TV, que o governo português decretaria três dias de luto, mas desde a segunda-feira as bandeiras tremulam a meio pau nos edifícios públicos portugueses, que acreditam que o luto começou ontem.

» Leia todas as notícias
 

EFE

Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.