Sites relacionados
O novo papa

Fale conosco

 Notícias por e-mail
João Paulo II
Sábado, 2 de abril de 2005, 18h36  Atualizada às 20h42
Lula deve comparecer ao velório do Papa
 
 Últimas de João Paulo II
» Religioso pede gravação do coração de João Paulo II
» João Paulo II será beatificado por milagre francês
» Carro de João Paulo II é vendido por US$ 690 mil
» Começam as audições para beatificar João Paulo II
O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, decretou neste sábado luto oficial de sete dias em todo o País devido à morte do Papa João Paulo II, ocorrida neste sábado. O presidente brasileiro deverá comparecer ao velório do Pontífice, segundo disseram funcionários do Palácio do Planalto.

  • Vaticano anuncia a morte do Papa João Paulo II
  • Cardeal Sodano oficiará missa em memória do Papa
  • Vídeo: favoritos a sucessão
  • Fotos: fiéis rezam pelo Papa
  • Deixe seu depoimento sobre a morte do Papa
  • Os rituais que envolvem a morte do Papa

    Em mensagem divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, o presidente lembrou que o Brasil é "o maior país católico do mundo". Leia a íntegra do texto:

    "A morte do Papa João Paulo 2º entristece profundamente o povo brasileiro, que tinha pelo Santo Padre grande afeto. Suas três visitas ao Brasil serão sempre recordadas com viva emoção. A canção 'João de Deus', entoada espontaneamente pelo povo brasileiro, expressou esta relação de carinho e respeito.

    Até o final da vida, João Paulo II conduziu sua missão com energia e lucidez. O sofrimento que não escondia, nos últimos anos, jamais alterou sua determinação.

    Em 26 anos de peregrinação às mais diferentes regiões do planeta, o Papa criou uma obra rica e multifacetada, reforçando a esperança de um mundo de justiça e liberdade. Sua liderança espiritual espelhou-se na luta incansável em prol da dignidade da pessoa humana; na busca do diálogo entre culturas e religiões; na posição corajosa em favor da Paz e do Direito; e no grande empenho em eliminar a marginalização social e econômica de indivíduos e nações.

    Maior país católico do mundo, onde convivem harmonicamente pessoas de variadas crenças, o Brasil se sente compungido pela perda de um dos homens que, como poucos, influiu, de forma marcante e positiva, no curso da História Contemporânea".

    Luto no Brasil
    No Brasil, governadores, prefeitos e congressistas tornaram públicos seus votos de pesar pela morte do Papa.

    Em São Paulo, o prefeito José Serra decretou luto oficial de três dias, a partir deste domingo.

    Germano Rigotto, governador do Rio Grande do Sul, recordou que recebeu a primeira bênção pública de João Paulo II, na época em que fazia o curso de pós-graduação em Odontologia, logo depois da morte de João Paulo I.

    Rigotto estava em Madri e seguiu para Roma, dois dias depois, ainda a tempo de assistir, da Praça São Pedro, à fumaça branca que anunciava a definição do novo papa.

    "Cheguei ao hotel e fui direto para a praça, onde esperei por quatro horas até a aparição da fumaça e do Papa, na sacada. Foi uma emoção incrível", disse ele, emocionado.

    "É uma perda inestimável", completou Rigotto.

    O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique, decretou luto oficial de três dias pela morte do Papa João Paulo II. "Mais que chefe da Igreja Católica, foi um líder que lutou pelos ideais em que, firmemente, acreditava", afirmou o governador. "Ele sempre foi coerente."


     

  • Agência Brasil