Sites relacionados
O novo papa

Fale conosco

 Notícias por e-mail
João Paulo II
Os rituais de escolha do novo papa
 
Multimídia
O processo de escolha do novo papa
Veja:
Clique na imagem para ver o infográfico
Saiba mais
» Cardeal mexicano é a segunda baixa no conclave
» Vaticano avalia beatificação do Papa, diz jornal
» Cardeal de Roma tenta abafar curiosidade sobre novo papa
» Próximo papa decide beatificação de João Paulo II
» Papa é enterrado; 1 milhão assistem à missa
» Fiéis pedem a canonização de João Paulo
» Lula acompanha sepultamento do Papa
» 15 mil soldados patrulham Roma
» 7 mil assistem em telão na Notre Dame
» Fidel minimiza peso do Papa na queda do comunismo
» Números: o pontificado de João Paulo II
Multimídia
Animações
» Como se elege um novo papa
» Todos os papas do século XX
» Viagens de João Paulo II
Áudio e vídeo
» Cardeal lembra do amor do Papa aos jovens
» Reveja a última aparição pública do Papa
Sites relacionados
Externo
» Fotos: imagens do Papa
» Vídeo: imagens do Papa
» Troque mensagens no chat do Terra sobre João Paulo II
Após o anúncio oficial da morte do Papa pelo Camerlengo e a realização dos ritos de funeral do Papa, deve iniciar o processo de escolha do sucessor de João Paulo II. O processo inicia de 15 a 20 dias após a morte.

O novo líder da igreja católica será escolhido por Colégio de Cardeais, formados por 119 cardeais com menos de 80 anos de várias nacionalidades. O processo de votação - chamado de Conclave - é secreto e a portas fechadas.

Cada cardeal vota em uma cédula secreta na capela Sistina. Os votos são contados e as cédulas queimadas com um produto químico para produzir a famosa fumaça branca ou cinza pela chaminé da capela de São Pedro. Enquanto o processo de escolha ainda está em andamento, a fumaça expelida é cinza.

A votação continua até que um candidato receba mais de dois terços dos votos. Se isto não acontecer depois de 30 votações, os cardeais podem encerrar o processo com uma vitória por maioria simples.

As cédulas finais são contadas e queimadas, dessa vez, produzindo a tão esperada fumaça branca através da chaminé da capela de São Pedro. Depois que o candidato aceitar sua indicação, um cardeal declara Habemus Papam no balcão do Vaticano.

O colégio dos cardeais convocado para designar o sucessor de João Paulo II possui 119 membros em vez de 120 porque um cardeal polonês, Henryk Gulbinowicz, reconheceu ter modificado sua idade de nascimento e ter na realidade 81 anos.

Os prelados estão divididos assim: 58 europeus, 14 americanos, 22 latino-americanos, 12 africanos, 11 asiáticos e 2 da Oceania. O Sacro Colégio deve formado por 120 cardeais de menos de 80 anos, limite de idade para eleger um novo Papa.

João Paulo II preparou sua sucessão até os mínimos detalhes com a aprovação da Constituição Apostólica em 1996. Após sua morte, dois prelados terão um papel primordial: o carmelengo espanhol Eduardo Martínez Somalo (cardeal que governa interinamente a Igreja, entre a morte de um papa e a eleição do seguinte) e o monsenhor alemão Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e decano do Colégio Cardinalício, por sua influência dentro da Igreja.
 

Redação Terra