México prende um dos líderes do Cartel do Golfo

atualizado às 18h29
  • separator
  •  
  • comentários

Mario Cárdenas Guillén, um dos principais chefes do Cartel do Golfo e irmão do líder histórico desse grupo criminoso, Osiel Cárdenas Guillen, preso nos Estados Unidos, foi detido pelos militares mexicanos, informou nesta terça-feira a Marinha de Guerra do México.

Membros da Marinha do México escoltam Mario Cárdenas Guillén, narcotraficante conhecido como "El Gordo"
Membros da Marinha do México escoltam Mario Cárdenas Guillén, narcotraficante conhecido como "El Gordo"
Foto: AFP

Mario Cárdenas Guillén, ou "El Gordo", "um dos principais líderes" do Cartel do Golfo foi detido na segunda-feira por soldados da Marinha na comunidade de Altamira, no estado de Tamaulipas, fronteira com os Estados Unidos, informou à imprensa José Luis Vergara, porta-voz da secretaria da Marinha.

O suposto narcotraficante faz parte da chamada "liderança histórica" do Cartel do Golfo, liderado por seu irmão Osiel, que foi capturado em 2003 e em 2005 extraditado aos Estados Unidos, onde cumpre pena de 25 anos de prisão.

O grande líder do cartel foi o irmão de Mario e Osiel, Antonio Cárdenas Guillén, conhecido "Tony Tormenta", que manteve a liderança do grupo criminoso até sua morte, em 2010, abatido por militares. Vergara explicou que depois da morte de "Tony Tormenta", o Cartel do Golfo se dividiu em duas vertentes, uma delas liderada por Mario Cárdenas Guillén.

O narcotraficante, que foi apresentado à imprensa, já tinha sido detido em 1995 "por crime organizado e contra a saúde" (narcotráfico) e saiu da prisão em 2007, acrescentou Vergara. O Cartel do Golfo, cujo poderio foi enfraquecido depois de sua separação do cartel de Los Zetas, atua principalmente em Tamaulipas, segundo as autoridades.

Segundo a Promotoria geral mexicana, Mario Cárdenas Guillén controlou o tráfico de cocaína e maconha durante o período em que foi mantido na prisão e há várias investigações abertas contra ele por crimes nesse período.

AFP    

compartilhe

publicidade
publicidade