0

Lucro do Santander desaba no 3º trimestre

O banco espanhol Santander, número um da Eurozona em capitalização, registrou uma queda expressiva do lucro líquido no terceiro trimestre de 2012, 100 milhões de euros, contra ⬠1,8 bilhão no mesmo período do ano passado, em consequência de importantes p

25 out 2012
11h01

MADRI, 25 Out 2012 (AFP) -O banco espanhol Santander, número um da Eurozona em capitalização, registrou uma queda expressiva do lucro líquido no terceiro trimestre de 2012, 100 milhões de euros, contra ⬠1,8 bilhão no mesmo período do ano passado, em consequência de importantes provisões por pressão das autoridades.O banco continua, no entanto, obtendo bons resultados na América Latina, especialmente no Brasil.Nos nove primeiros meses do ano, o lucro líquido caiu 66%, a 1,804 bilhão de euros, para um produto líquido bancário de 22,994 bilhões. No terceiro trimestre, o produto líquido bancário subiu 2,93%, a ⬠7,495 bilhões.Mas, sem considerar as provisões de 14,543 bilhões em nove meses, o lucro líquido nos três primeiros trimestres teria sido de 18,184 bilhões de euros, uma alta de 3%, destacou o Santander."A diversificação do Santander continua sendo chave para entender a resistência dos resultados do Grupo em um ambiente tão complexo na Europa, onde desenvolve uma parte muito importante de sua atividade", destacou o comunicado.A América Latina representa 50% do lucro, com o Brasil somando 26%. A Europa continental significa 28%, sendo 16% apenas da Espanha. A Grã-Bretanha representa 13% e os Estados Unidos 9%."O crédito cresce nas unidades que operam em mercados emergentes, como América Latina e Polônia, enquanto cai nas economias que estão em fortes processos de desapalancamiento, como Espanha e Portugal", completa o comunicado.O conjunto de créditos do grupo alcança 754 bilhões de euros e representa 117% dos depósitos (642,6 bilhões).O aporte do investimento de crédito líquido do Grupo Santander foi de 754,094 bilhões ao fim de setembro de 2012, 3% a mais que há um ano. "O volume de crédito cresce 0% no Brasil e México", destacou o banco.A taxa de inadimplência do grupo foi de 4,33%, aumento de 0,22% no trimestre.Na América Latina, a taxa sobe no Brasil e Chile e registra queda no México.O banco havia registrado despesas com provisão de 7,32 bilhões de euros no mesmo período de 2011."A capacidade de geração de resultados do Banco Santander nos permite fazer um forte saneamento imobiliário na Espanha em 2012 e aumentar consideravelmente a cobertura dos inadimplentes", afirmou o presidente do banco, Emilio Botín.O custo de saneamento ante os riscos imobiliários que cresceram na Espanha desde a explosão da bolha imobiliária em 2008 alcançou nos nove primeiros meses do ano 5,01 bilhões de euros, 1,14 bilhão apenas no terceiro trimestre, cobrido 90% das exigências dos decretos reais de lei de fevereiro e maio, segundo banco.ib-apa/fp/cn

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade