inclusão de arquivo javascript

 
 

Plano para atacar aviões teria elo com Al-Qaeda paquistanesa

08 de setembro de 2009 10h26 atualizado às 10h38

O complô para a execução de atentados com explosivo líquido contra ao menos sete voos transatlânticos entre Londres e a América do Norte em 2006 foi planejado no Paquistão por homens ligados à Al-Qaeda, afirmou nesta terça-feira fonte antiterrorista britânica.

Três muçulmanos foram declarados culpados na segunda-feira em Londres por envolvimento neste projeto. Segundo a procuradoria, a ideia era matar mais pessoas do que nos atentados de 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos.

"No que se refere ao envolvimento da Al-Qaeda, uma grande parte deste complô foi pensada ou elaborada no Paquistão", declarou, após o veredicto uma fonte dos serviços antiterroristas britânicos.

O júri consultou vários e-mails nos quais os três acusados, Abdullah Ahmed Ali, 28 anos, Tanvir Hussain, 28 anos, e Assad Sarwar, 29 anos, pediam dicas a contatos paquistaneses sobre a fabricação de bombas em garrafas de bebidas.

Segundo a procuradoria, como as mensagens não estavam entre as provas do primeiro julgamento em 2008, o júri não pôde dar um veredicto. Por isso, foi organizado um segundo julgamento.

Os e-mails foram obtidos por uma ordem judicial emitida por um tribunal da Califórnia contra a empresa americana Yahoo!.

Segundo a imprensa, o principal contato dos acusados no Paquistão era o britânico de origem paquistanesa Rashid Rauf, ligado à Al-Qaeda.

Andy Hayman, um policial britânico, lamentou nesta terça-feira em entrevista ao jornal The Times que os Estados Unidos tenham pedido ao Paquistão a prisão de Rauf antes de os investigadores britânicos conseguirem reunir provas necessárias contra seus cúmplices no Reino Unido.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.