inclusão de arquivo javascript

 
 

Hamas não confirma estado de soldado israelense sequestrado

25 de junho de 2009 09h34 atualizado às 09h46

O movimento islâmico palestino Hamas comunicou nesta quinta que não pode confirmar nem desmentir informações sobre se o soldado israelense Gilad Shalit, sequestrado em Gaza, está vivo.

"A demente guerra em Gaza apagou tudo, portanto não sabemos se Shalit está vivo ou se morreu", disse hoje à imprensa Osama al-Muzaini, um funcionário do Hamas autorizado a falar sobre o caso.

Hoje são completados três anos da captura de Shalit, ocorrida em uma incursão de milicianos palestinos a um posto de observação israelense junto à fronteira com Gaza. Embora o jovem já tenha enviado três cartas e um vídeo a sua família, desde meados do ano passado seu estado de saúde é desconhecido.

Muzaini disse que, em todo caso, Israel deve continuar com as negociações para trocar Shalit por prisioneiros palestinos e outros árabes.

"O inimigo sionista deve seguir as negociações sem sinal algum que confirme ou desminta se ele está vivo ou morto", completou.

Nos últimos três anos Israel e Hamas negociaram com a mediação do Egito para concretizar uma troca, que acabou não concluindo pelas diferenças sobre a quantidade de envolvidos nas negociações.

O pai do soldado israelense Gilad Shalit, seu irmão e várias organizações de direitos humanos, pediram hoje aos Governos de Israel e de Gaza sua libertação.

"Minha exigência hoje é que todo cidadão, homem ou mulher, jovem ou velho, fechem seus olhos durante três minutos e tentem imaginar pelo que meu filho Gilad está passando", disse Noam Shalit, pai do militar, em declarações a uma rádio local.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.