inclusão de arquivo javascript

 
 

Alemães celebram 60 anos de complô contra Hitler

20 de julho de 2004 05h37

Claus Graf Schenk von Stauffenberg plantou uma bomba em uma sala onde Hitler estava. Foto: AP

Claus Graf Schenk von Stauffenberg plantou uma bomba em uma sala onde Hitler estava
Foto: AP

A Alemanha vai comemorar hoje os 60 anos de uma tentativa frustrada de assassinar Adolf Hitler. O chanceler Gerhard Schröder vai prestar uma homenagem aos líderes do complô no antigo quartel-general do Exército alemão em Berlim onde eles foram executados em 1944.

  • Veja fotos

    No dia 20 de julho daquele ano, Claus Schenk Graf von Stauffenberg, um coronel do Exército alemão, plantou uma bomba em uma sala onde Hitler estava participando de uma reunião em Rastenberg, hoje parte da Polônia.

    A bomba havia sido guardada em uma maleta e chegou a explodir, mas Hitler escapou praticamente ileso do atentado. Ele foi protegido da força da explosão por uma mesa de reuniões. Esta foi a conspiração que mais perto chegou de colocar um ponto final em Hitler e seu regime nazista.

    Confiança
    O conde Von Stauffenberg era um alto oficial do Exército alemão que foi ferido durante as campanhas do norte da África. Ele contava com a confiança de Hitler e costumava comparecer regularmente a reuniões.

    Mas horas depois da tentativa frustrada, Stauffenberg e outros oficiais militares envolvidos no complô foram reunidos e executados sob as ordens de Hitler.

    Sessenta anos depois, Schröder vai liderar as homenagens aos conspiradores em uma cerimônia em Berlim. Ele será acompanhado do presidente Horst Köhler, que vai depositar uma coroa de flores no local onde Stauffenberg foi executado. O aniversário também está sendo marcado na Alemanha por uma série de documentários de televisão, filmes e livros.

    Os conspiradores de Stauffenberg são vistos hoje em dia por muitos alemães como heróis que tentaram libertar seu país do regime nazista - mas historiadores dizem que uma grande oportunidade foi desperdiçada devido a uma série de erros e falta de planejamento por parte dos participantes da trama.

  • BBC Brasil
    BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.
    1. Há 60 anos, Claus Graf Schenk von Stauffenberg, um coronel do Exército alemão, plantou uma bomba em uma sala onde Hitler estava participando de uma reunião em Rastenberg, hoje parte da Polônia  Foto: AP

      Há 60 anos, Claus Graf Schenk von Stauffenberg, um coronel do Exército alemão, plantou uma bomba em uma sala onde Hitler estava participando de uma reunião em Rastenberg, hoje parte da Polônia

      Foto: AP

    2. Em toda a Alemanha, visitantes participam de cerimônias em homenagem a ele a outros oficiais envolvidos na tentativa de matar o ditador nazista e, com isso, encurtar a II Guerra Mundial  Foto: AP

      Em toda a Alemanha, visitantes participam de cerimônias em homenagem a ele a outros oficiais envolvidos na tentativa de matar o ditador nazista e, com isso, encurtar a II Guerra Mundial

      Foto: AP

    3. Presidente alemão, Horst Koehler, à direita, e Franz Ludwig Graf von Stauffenberg, filho de Claus Schenk Graf von Stauffenberg, participam da cerimônia no memorial Ploetzensse, em Berlim  Foto: AP

      Presidente alemão, Horst Koehler, à direita, e Franz Ludwig Graf von Stauffenberg, filho de Claus Schenk Graf von Stauffenberg, participam da cerimônia no memorial Ploetzensse, em Berlim

      Foto: AP

    4. Philipp Freiherr von Boeselager, um dos últimos oficiais envolvidos no atentado ainda vivos, chega ao memorial Ploetzensse  Foto: AP

      Philipp Freiherr von Boeselager, um dos últimos oficiais envolvidos no atentado ainda vivos, chega ao memorial Ploetzensse

      Foto: AP

    5. A artista alemã Tina Schwichtenberg, ajoelhada, coloca flores em uma placa no chão com os nomes dos 150 alemães da resistência assassinados a mando de Hitler  Foto: AP

      A artista alemã Tina Schwichtenberg, ajoelhada, coloca flores em uma placa no chão com os nomes dos 150 alemães da resistência assassinados a mando de Hitler

      Foto: AP

    6. Visitante passa por quadros dos oficiais alemães envolvidos na tentativa de matar o ditador Adolf Hitler, há 60 anos, em um memorial em Berlim  Foto: Reuters

      Visitante passa por quadros dos oficiais alemães envolvidos na tentativa de matar o ditador Adolf Hitler, há 60 anos, em um memorial em Berlim

      Reuters
      Foto: Reuters

    /foto/0,,00.html