inclusão de arquivo javascript

 
 

Ataque a sede da ONU em Gaza deixa três feridos

15 de janeiro de 2009 08h19 atualizado em 16 de janeiro de 2009 às 00h39

Pelo menos três pessoas ficaram feridas nesta quinta em um bombardeio do exército israelense a uma sede da agência da ONU para os refugiados palestinos (UNRWA) em Gaza, disse à agência EFE um porta-voz da organização.

» Veja fotos da ofensiva em Gaza
» Vídeo: Israel ataca emissora de TV
» Israel ataca 70 alvos; Hamas responde
» Saiba mais · Mapa · Cronologia · Armas

  • Número de mortos
  • Palestinos: 1055
  • Israelenses: 13
  • Feridos: 4580
  • Fonte: Agências internacionais

"Três projéteis atingiram um complexo da UNRWA em Gaza, causando um grande incêndio", disse o porta-voz Richard Gunnes.

O espanhol Francesc Claret, funcionário da organização, disse à EFE que o complexo atacado é a sede central da UNRWA em Gaza, "que abriga um centro de operações, armazéns e centros de formação".

Acrescentou que o exército israelense também disparou bombas de fósforo contra o imóvel quando cerca de 700 pessoas estavam dentro, escondendo-se do avanço das forças que hoje entraram na Cidade de Gaza pela primeira vez.

"Um dos feridos tem lesões provocadas por bombas de fósforo branco, que atravessaram o colete à prova de balas que estava usando", acrescentou Claret, expressando seu temor de que o incêndio não possa ser sufocado, pois o fósforo não deve ser apagado com água.

Também manifestou sua incerteza em relação ao destino dos refugiados no interior da sede da UNRWA e pelo material de ajuda humanitária concentrado nos armazéns que estão pegando fogo.

No interior do edifício, há armazenado combustível e os veículos que distribuem ajuda humanitária não poderão sair hoje, devido à situação de emergência e as infra-estruturas que cercam o complexo atacado, disse.

"Isso vem se somar aos danos que sofremos nas últimas semanas: tivemos que fechar um centro médico em Rafah, uma escola com 900 refugiados e um comboio humanitário também foi atacado", disse o porta-voz, ao referir-se a diferentes ataques israelenses que tiveram como alvo instalações da UNRWA.

Em um deles, morreram mais de 40 pessoas quando um projétil de tanque atingiu a entrada de um colégio.

Desde o início da ofensiva israelense, a UNRWA habilitou todas suas instalações para refúgio a palestinos deslocados em conseqüência dos bombardeios e dos combates, e, atualmente, cerca de 20 mil ocupam estes centros, de onde também se distribui a ajuda humanitária para mais de 900 mil habitantes.

O ataque aconteceu pouco antes de o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se encontrar em Tel Aviv com a ministra de Assuntos Exteriores israelense, Tzipi Livni.

Na sexta-feira passada, após a UNRWA suspender suas atividades devido à morte de um dos motoristas de um comboio humanitário claramente identificado, Israel tinha garantido que teria mais cuidado com seus ataques e que não voltaria a atacar centros dessa organização.

ONU condena ataque

O chefe das Nações Unidas, Ban Ki-monn, expressou seu "forte protesto e ultraje" ao ataque israelense a prédios da ONU em Gaza. Segundo a agência AP, ele informou que vai pedir uma investigação.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.