inclusão de arquivo javascript

 
 

Sarkozy gera confusão sobre plano de cessar-fogo

07 de janeiro de 2009 13h37 atualizado às 13h51

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse nesta quarta-feira que Israel havia aceitado o plano de trégua do Egito para Gaza, mas logo depois seu gabinete afirmou que ele estava simplesmente celebrando a reação israelense à proposta feita mais cedo.

» Fotos: Israel ataca Faixa de Gaza
» Israel negocia com Egito cessar-fogo
» Israel aceitou cessar-fogo, diz Sarkozy
» Israel anuncia suspensão de bombardeios
» Entenda · Mapa · Cronologia · Opine

O Egito anunciou na terça-feira a proposta de um cessar-fogo imediato entre Israel e os palestinos em Gaza, que seria seguido de negociações sobre acordos de longo prazo para as fronteiras e o fim do bloqueio israelense em Gaza.

Israel disse que via "positivamente" as conversas sobre a proposta, sem anunciar aceitação ao plano do Egito. "O presidente está satisfeito com a aceitação de Israel e da ANP ao plano apresentado ontem à noite em Sharm el-Sheikh por Mubarak", disse o gabinete de Sarkozy em um comunicado.

"O chefe de Estado pede que este plano seja implementado o mais rápido possível para que termine o sofrimento da população", acrescentou. O uso do termo "aceitação" no comunicado da França levou Israel a dizer que não havia aceitado o plano egípcio e que ainda estava discutindo a proposta.

Uma autoridade do gabinete de Sarkozy afirmou depois que o comunicado francês era apenas uma reação aos comentários positivos feitos anteriormente sobre o plano e que não anunciava a aceitação por parte de Israel da proposta egípcia. "É uma reação às declarações de Israel e palestinos", disse a autoridade.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.