inclusão de arquivo javascript

 
 

Amsterdã anuncia plano de fechamento de bordéis

06 de dezembro de 2008 11h45 atualizado às 12h38

Prostituta senta em frente a casa no distrito da Luz Vermelha. Foto: AP

Prostituta senta em frente a casa no distrito da Luz Vermelha
Foto: AP

A cidade de Amsterdã, na Holanda, anunciou planos com investimento de milhões de dólares para revitalizar o centro histórico e lutar contra o crime organizado. Autoridades informaram que o projeto inclui fechar metade dos famosos bordéis e coffee shops - cafés que vendem maconha e haxixe e em que é permitido comprar e consumir drogas.

De acordo com o plano, também seriam fechados sex shops, casas de massagem e até lojas de suvenires. O anúncio ocorre dias depois de o governo holandês ter introduzido a proibição à venda e ao cultivo de cogumelos frescos alucinógenos nas chamadas smart shops, onde o produto era vendido.

Segurança
Segundo a correspondente da BBC em Haia, Geraldine Coughlan, os novos planos vão muito além do esperado. Amsterdã pretende gastar até US$ 50 milhões para transformar o centro da cidade em um local mais seguro, bonito e residencial.

O governo de Amsterdã afirma que alguns ramos de negócios estão ligados à decadência do centro da cidade, entre eles, casas de shows de sexo, pequenos supermercados, lojas telefônicas onde usuários fazem ligações e as lojas de suvenires. Estes estabelecimentos serão fechados.

Segundo as autoridades, existem sinais de que estes estabelecimentos servem como cobertura para operações ilegais como lavagem de dinheiro e tráfico de drogas e mulheres.

Críticos do plano afirmam que este é o último exemplo do endurecimento da política liberal do país em relação a questões sociais como prostituição e uso de drogas leves, de acordo com Geraldine Coughlan.

BBC Brasil
BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.