inclusão de arquivo javascript

 
 

Homem cozinha corpo e serve a amigos para ocultar assassinato

14 de novembro de 2007 14h25 atualizado às 14h33

O cúmplice de um assassinato decidiu cozinhar o cadáver e servi-lo a seus amigos para ocultar o crime, informou hoje a Promotoria da região siberiana de Tiumen.

» Britânico mata e come a namorada
» Mexicano admite que cozinhou namorada
» Canibal alemão é condenado à perpétua
» Canibal de 16 crianças comove a Índia

"No começo de novembro foram encontrados restos humanos em uma casa de Tiumen onde ele havia se reunido com vários amigos", informou Timur Lviv, funcionário da Promotoria que investiga o caso, segundo a agência Interfax.

Lviv informou que "o dono da casa esquartejou o cadáver, o cozinhou e o ofereceu a seus convidados, que não suspeitaram de nada".

Desta maneira, o proprietário pretendia ajudar a suposta assassina a apagar os rastros do crime, disse.

"Eles acharam que era perigoso dar o corpo para os cachorros comerem, por isso decidiram queimar os ossos e servir a carne", indicou.

Alguns dos convidados se surpreenderam com o estranho sabor da carne que, segundo o anfitrião, se devia a temperos diferentes.

O canibalismo não está contemplado no código penal da Rússia, e por isso o proprietário do apartamento deve ser acusado somente de "cumplicidade em assassinato", indicou Lviv.

O caso de canibalismo mais famoso na história da Rússia é o de Andrei Chikatilo, assassino em série que matou e comeu partes dos corpos de 52 crianças e mulheres. Chikatilo foi condenado à morte e executado em fevereiro de 1994.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.