inclusão de arquivo javascript

 
 

"Esquadrão" de estorninhos enfrenta praga de gafanhotos na China

02 de agosto de 2007 03h12

A região autônoma de Xinjiang, no noroeste da China, prepara um "esquadrão" de estorninhos, com ninhos artificiais, para conter as pragas de gafanhotos que chegarão nos próximos meses, segundo informou hoje a agência estatal chinesa "Xinhua".

Xinjiang sofre a cada ano pragas de gafanhotos que afetam mais de 3 milhões de hectares cultivados. Até pouco tempo atrás, os fazendeiros se protegiam com pesticidas. No entanto, as autoridades acham que as aves serão ideais, já que se alimentam dos insetos. O dano aos cultivos deverá cair 70%, segundo as previsões.

Calcula-se que há 4 milhões de estorninhos em Xinjiang, que protegem mais de 130 mil hectares de cultivos, 20% do total. Cada 300 aves podem proteger um hectare.

Para atrair a quantidade suficiente de pássaros, os agricultores estão formando montes de pedra e rochas, onde estes pássaros costumam fazer seus ninhos.

No vale do rio Yili, uma das áreas mais afetadas pela praga de gafanhotos, as autoridades começaram a usar estorninhos em 2003. A cada ano, elas atraem 200 mil aves para lutar contra os insetos.

As autoridades de Xinjiang já testaram o uso de frangos, que também comem gafanhotos, mas não foram muito eficazes.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.