inclusão de arquivo javascript

 
 

Adolescente é apedrejada no Iraque por namoro

03 de maio de 2007 09h16 atualizado às 10h00

Uma adolescente de 17 anos foi morta por apedrejamento no Iraque por namorar um rapaz de um outro grupo religioso. Por volta do dia 7 de abril, Du'a Khalil Aswad foi apedrejada por um grupo de oito ou nove homens, incluindo alguns parentes, e na presença de uma multidão na cidade de Bashika, perto de Mosul.

Modelo é ameaçada de morte em Israel

Aswad pertencia à minoria religiosa Yezidi e teria namorado um rapaz muçulmano sunita. A menina também teria passado uma noite fora de casa.

Um dos líderes da tribo Yezidi teria dado abrigo à menina, mas o grupo de homens invadiu a casa e a apedrejou. Os Yezidis são uma seita antiga com tradições pouco conhecidas. Seus integrantes estão espalhados pela Armênia, Síria, Turquia e Iraque. A seita pré-islâmica, de origem incerta, faz cultos a Melek Taus, "o anjo pavão", tido como Lúcifer por cristãos e muçulmanos.

Vídeo
O apedrejamento durou cerca de 30 minutos, foi filmado por várias pessoas com telefone celular e divulgado na Internet. As imagens mostram que membros da força de segurança local estavam presentes, mas não interferiram.

Em aparente retaliação, 23 integrantes do grupo Yezidi foram depois mortos por um grupo armado sunita. A Anistia Internacional condenou a morte de Aswad e dos 23 homens, pedindo que as autoridades iraquianas identifiquem e julguem os culpados.

"A organização também está pedindo às autoridades iraquianas que investiguem se os oficiais da força de segurança estavam presente e não impediram a morte de Du'a Khalil Aswad por apedrejamento", diz um comunicado da Anistia. Segundo a organização, há relatos freqüentes de "crimes de honra" no Iraque, em especial, na região curda ao norte do país. A maioria das vítimas é de mulheres e crianças.

BBC Brasil
BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.