inclusão de arquivo javascript

 
 

Ilhas Salomão declaram calamidade após tsunami

03 de abril de 2007 23h58 atualizado em 04 de abril de 2007 às 07h49

As Ilhas Salomão declararam estado de calamidade nas duas províncias mais duramente atingidas um terremoto e um tsunami, no momento em que o número de mortes atingiu 28 e trabalhadores de resgate fazem apelos por tendas e suprimentos para milhares de desabrigados.

Segundo o secretário-geral da Cruz Vermelha das Ilhas Salomão, haverá novas mortes, e há mortes ainda não registradas.

"Eu acho que a questão agora é a água, água e barracas. As pessoas ainda estão no alto e relutantes em voltar para as vilas", disse ele a uma rádio australiana na quarta-feira (horário local).

Em meio a tremores secundários, as primeiras equipes de avaliação de desastre atingiram as províncias de Western e Choiseul, dois dias depois de um terremoto de magnitude oito seguido por um tsunami ter destruído vilas inteiras, expulsando moradores assustados para as montanhas.

Milhares de casas foram destruídas ou cobertas pelo mar nas áreas costeiras inundadas. Autoridades temem surtos de doenças como a malária.

O ministro do Interior das Ilhas Salomão, Bernard Giro, declarou calamidade na terça-feira, enquanto equipes de resgate tentavam chegar a vilarejos remotos ao longo da costa, que não têm acesso rodoviário.

Kelly, da Cruz Vermelha, alertou ainda para problemas sanitários que começam a surgir nos campos de refugiados nas montanhas. Segundo ele, as estimadas 5.400 pessoas deveriam voltar para casa, apesar do risco de novos tremores.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.