0

Homens atacam shopping em Nairóbi e matam ao menos 20

21 set 2013
12h31
atualizado às 12h52

Homens armados atacaram neste sábado um shopping na capital queniana, matando pelo menos 20 pessoas em um ataque que o governo do Quênia afirmou que pode ser terrorista, causando a correria de uma verdadeira multidão em fuga, com pessoas se escondendo nas lojas, em um cinema e nas ruas.

Tiros esporádicos podiam ser ouvidos horas após a invasão, com soldados cercando o shopping e a polícia vasculhando o prédio, caçando os agressores loja por loja. Algumas emissoras de televisão locais informaram a existência de reféns, mas não houve confirmação oficial.

O grupo militante somali Al Shabaab, que o Quênia culpa por tiroteios, bombardeios e ataques com granadas em igrejas e contra as forças de segurança, já havia ameaçado atacar o shopping Westgate antes, um local popular entre a comunidade de expatriados da cidade.

Os ataques do Al Shabaab seguiram a ação das forças quenianas contra militantes ligados à Al Qaeda na Somália, há dois anos.

Helicópteros da polícia sobrevoavam o local, enquanto a polícia gritava "sai, sai", com centenas de pessoas fugindo do shopping. Por uma das entradas do estabelecimento saía fumaça, e testemunhas disseram ter ouvido explosões de granadas.

Outros afirmaram que viram cerca de cinco homens armados atacarem o shopping Westgate, e que o incidente aparentava ser um ataque, não um assalto.

"Eles não parecem ser ladrões. Isso não é um assalto", afirmou Yukeh Mannasseh, que estava no andar de cima do shopping quando o tiroteio começou. "Parece ser um ataque. Os guardas que os viram disseram que eles atiravam indiscriminadamente."

O Ministro do Interior do Quênia disse: "Há a possibilidade que seja um ataque terrorista, por isso estamos tratando o assunto de maneira muito séria."

Questionado sobre o envolvimento de forças de segurança estrangeiras na operação para expulsar os agressores, ele afirmou: "Nesse momento isso ainda não se tornou necessário."

Uma testemunha, que se identificou como Taha, disse ter ouvido som de freios, seguido por uma explosão e um tiroteio no piso inferior momentos depois. Outro sobrevivente disse ter sido atingido por um homem que parecia somali.

Alguns clientes subiram as escadas e se esconderam no complexo de cinema do shopping. A polícia encontrou outro grupo escondido em um toalete do primeiro piso.

Pelo menos duas dúzias de feridos foram retirados do local em macas e carrinhos de compras. Muitas das vítimas tinham alguns ferimentos leves, aparentemente causados por destroços que voaram sobre elas. Algumas pessoas conseguiram sair andando com roupas manchadas de sangue envolvendo seus ferimentos.

Correspondentes da Reuters viram pelo menos 20 corpos em diferentes locais. A Cruz Vermelha Queniana disse que pelo menos 15 pessoas foram mortas, com outras baixas dentro do shopping.

"As mortes são muitas, e esse é apenas (o número) que temos do lado de fora", disse o secretário-geral da Cruz Vermelha Queniana, Abbas Guled. "Lá dentro há mais mortos e o tiroteio segue em curso".

Questionado se o ataque havia sido um assalto, um policial paramilitar disse: "Não, (foi) terrorista". Não houve, no entanto, nenhuma declaração oficial da polícia sobre a motivação do grupo.

A polícia isolou as ruas em torno do shopping, que fica no bairro central Westlands.

(Por Edmund Blair e Goran Tomasevic)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade