22 eventos ao vivo

Fundador do Wikileaks é acusado de estupro na Suécia

21 ago 2010
08h34
atualizado às 09h55

A Justiça da Suécia expediu dois mandados de prisão, um deles por estupro, contra Julian Assange, fundador do site Wikileaks, que ganhou fama mundial pela publicação de documentos secretos do Exército americano sobre a Guerra do Afeganistão, informa hoje o diário sueco "Aftonbladet".

Julian Assange, fundador do site Wikileaks, ganhou fama mundial pela publicação de documentos secretos do Exército americano sobre a Guerra do Afeganistão
Julian Assange, fundador do site Wikileaks, ganhou fama mundial pela publicação de documentos secretos do Exército americano sobre a Guerra do Afeganistão
Foto: EFE

O documento foi emitido na noite de sexta-feira, segundo a responsável pelo departamento de comunicações da promotoria do país, Karin Rosander. Ela disse que a polícia sueca tentou contactar Assange, sem sucesso até a manhã do sábado.

Maria Häljebo, promotora interina de Estocolmo, confirmou ao jornal sueco que na noite de sexta-feira a Polícia tentou deter Assange, mas ele estava desaparecido.

No Twitter, o Wikileaks cita Assange, e afirma que as acusações não fariam sentido. A mensagem também afirma que as alegações "parecem, no momento, profundamente perturbadoras".

Assange estava na Suécia nos últimos dias proferindo palestras depois de o Partido Pirata (movimento contra direitos autorais) local aceitar acolher vários funcionários do Wikileaks diante da perseguição sofrida nos Estados Unidos.

O jornal explica que as denúncias procedem de duas mulheres, de 20 e 30 anos. A primeira denúncia seria por estupro e a segunda por agressão.

Uma das mulheres denunciou Assange após ficar com ele em um apartamento em Estocolmo, na semana passada, segundo a imprensa. A outra mulher o acusou depois de se reunir com ele na terça-feira passada na cidade sueca de Enköping.

Segundo a promotora, as duas mulheres enfatizaram a violência utilizada por Assange.

"Tinham medo e não querem que sua identidade seja conhecida", afirma Häljebvo.

Enquanto a Polícia sueca procura Assange, várias denúncias começavam a surgir hoje na internet por uma presumível conspiração contra Assange, quem, desde a publicação dos documentos secretos do Exército americano, começou a se proteger com um guarda-costas.

Com informações de EFE e BCC Brasil .

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade