0

WikiLeaks confirma denúncias de juiz sobre Tribunal para Iugoslávia

18 jun 2013
10h43
atualizado às 11h09

Telegramas diplomáticos americanos publicados pelo WikiLeaks parecem confirmar as denúncias de um juiz dinamarquês sobre possíveis tentativas do presidente do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII) de favorecer a absolvição de altos oficiais, a pedido do governo dos Estados Unidos, informa o jornal dinamarquês Information.

Um juiz dinamarquês do tribunal, Frederik Harhoff, afirma em uma carta enviada a 56 colegas e publicada na semana passada no jornal BT que o presidente do TPII, o americano Theodor Meron, havia pressionado de modo indevido os juízes para obter a absolvição de altos oficiais sérvios ou croatas.

Um telegrama do WikiLeaks, citado pelo Information, se refere a um encontro de 2003 entre Meron e um embaixador americano, que não tem o nome revelado.

Segundo a nota, no encontro Meron pediu ao governo americano que não prorrogasse o mandato da procuradora do TPII Carla del Ponte.

Outro telegrama cita uma reunião no mesmo ano de Meron com o embaixador plenipotenciário dos Estados Unidos, Pierre-Richard Prosper. No texto, Meron é descrito como "defensor preeminente dos esforços dos Estados Unidos no tribunal".

O jornal cita um ex-assessor legal do TPII, segundo o qual os telegramas permitem pensar que Meron recebia "instruções" do governo americano.

Na carta aos colegas, Harhoff cita algumas absolvições em primeira instância motivadas, pela ideia de que os altos oficiais não são necessariamente responsáveis pelos crimes de guerra cometidos por seus subordinados. Ele sugere que Estados Unidos ou Israel poderiam ter desempenhado algum tipo de incidência nas decisões.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade