2 eventos ao vivo

Termina a primeira audiência com atirador norueguês

25 jul 2011
09h56
atualizado às 11h09

Anders Behring Breivik, que admitiu ser o autor do massacre de 93 pessoas na Noruega na sexta-feira, deixou o tribunal de Oslo depois de seu primeiro comparecimento ante o juiz a portas fechadas.

Carro levando o autor dos atentados (no banco de trás, à esq.) deixa o tribunal de Oslo após o depoimento
Carro levando o autor dos atentados (no banco de trás, à esq.) deixa o tribunal de Oslo após o depoimento
Foto: Reuters

De acordo com a NTB, o carro que levava o suspeito chegou ao tribunal por uma entrada situada atrás do tribunal. Algumas pessoas que se encontravam perto se aproximaram do carro aos gritos de "canalha" e "assassino".

O advogado do atirador, Geir Lippestad, entrou pela porta principal, abrindo passagem com grande dificuldade entre os inúmeros jornalistas que se encontravam no lugar.

A polícia norueguesa deve pedir excepcionalmente oito semanas de prisão provisória para Anders Behring Breivik.

Viola Bjelland, porta-voz da polícia, confirmou à AFP que, em circunstâncias excepcionais, podem ser pedidas oito semanas de detenção, o dobro do habitual.

"Geralmente, o máximo é de quatro semanas, mas em casos especiais pode-se pedir até oito semanas", esclareceu Bjelland, que no entanto não soube dizer se este será o caso nesta segunda-feira, mas garantiu que de fato a polícia solicitará que a audiência seja a portas fechadas.

Behring Breivik, 32 anos, é o principal suspeito de ter realizado os ataques que deixaram 93 mortos em Oslo e na ilha de Utoya na sexta-feira.

O acusado, no entanto, preferia que a audiência fosse pública e queria se apresentar vestido de uniforme, informou seu advogado na noite de domingo.

O juiz se pronunciará a princípio sobre o eventual caráter público da audiência e, em seguida, decidirá sobre a prisão provisória do rapaz.

Tragédia na Noruega
A Noruega viveu na última sexta-feira, dia 22, a maior tragédia do país desde a Segunda Guerra Mundial. Dois atentados deixaram, até o momento, um saldo de 93 mortos. Primeiro, uma bomba explodiu no centro da capital, Oslo, na região onde estão localizados vários prédios governamentais, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenber. Sete pessoas morreram, mas a polícia admite possa haver corpos não resgatados nos prédios.

A segunda tragédia aconteceu em uma ilha próxima da capital, Utoya. Lá, Anders Behring Breivik, um homem de 32 anos vestido com uniforme da polícia, abriu fogo contra jovens reunidos em um acampamento de verão. Ao menos 86 morreram, a maioria pelos tiros disparados. Alguns outros morreram afogados após tentarem fugir nadando. Anders foi detido logo depois, pela polícia, e admitiu o crime. O atirador, que é ligado à extrema-direita e publicou um manifesto na internet chamando à violência contra muçulmanos e comunistas, também tem envolvimento no ataque em Oslo. Ele deve prestar depoimento na segunda-feira.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade