PUBLICIDADE

Tempestade Xynthia mata 53 na Europa ocidental

28 fev 2010 21h06
| atualizado às 22h28
Publicidade

A tempestade Xynthia, que atinge a Europa ocidental, já matou 53 pessoas, sendo 45 na França, além de provocar graves inundações e cortes de eletricidade. Na França, o fenômeno já deixou entre 45 e 50 mortos, segundo um levantamento provisório do ministério do Interior sobre a tormenta mais severa a atingir o país desde dezembro de 1999, quando outra tempestade provocou 92 óbitos.

O primeiro-ministro francês, François Fillon, qualificou a situação de "catástrofe nacional" e estimou que o pleno restabelecimento da eletricidade exigirá "vários días", após uma reunião de crise com vários ministros neste domingo. O presidente Nicolas Sarkozy pediu ao governo "que atue sem demora para que as medidas de solidariedade nacional possam chegar rapidamente".

As autoridades francesas pediram à União Europeia uma liberação especial do fundo de solidariedade para ajudar o país a enfrentar os estragos provocados por Xynthia. Na manhã de hoje, mais de um milhão de residências estavam sem eletricidade, mas no final da tarde o serviço foi restabelecido em cerca de 500 mil lares, segundo a distribuidora da empresa pública EDF.

O departamento mais afetado foi o de Vendée (oeste), onde morreram mais de 30 pessoas, segundo a prefeitura local. Em várias localidades, telhados das casas desabaram, residências foram inundadas e pessoas procuravam as autoridades a procura de parentes desaparecidos.

No departamento vizinho de Charente-Maritime morreram seis pessoas, incluindo um menino de 10 anos. O presidente Sarkozy anunciou que visitará os dois departamentos.

No Loire Atlântico (oeste), duas pessoas morreram, e no departamento de Yonne (centro), um homem morreu atingido por uma viga que se soltou com o vento.

Mais duas vítimas fatais foram registradas em Oloron-Sainte-Marie, nos Pirineus Atlânticos (sudoeste), intoxicadas com os gases de um gerador elétrico que tentavam ligar depois que o fornecimento de energia foi cortado. Violentas inundações foram registradas no litoral ao sul do porto de La Rochelle, onde muitos moradores se refugiaram no telhado de suas casas devido ao nível da água.

Em Paris, todos os parques e cemitérios foram fechados por precaução. A sudoeste da capital, no parque do Palácio de Versailles, o vento derrubou cerca de 30 árvores.

A Air France anunciou o cancelamento de 200 voos que partiriam ou chegariam neste domingo ao aeroporto Roissy-Charles de Gaulle. Além disso, 1,2 mil caminhões pesados foram bloqueados em várias estradas, principalmente no sudoeste da França, devido ao fechamento das passagens para a Espanha por causa do mau tempo.

Na Alemanha, um homem morreu e sua mulher ficou ferida quando uma árvore caiu sobre o carro do casal na região da Floresta Negra (sudoeste). Uma mulher que corria também faleceu, na queda de uma árvore, na região de Bergheim, na Renânia do Norte-Westfalia. Também na Alemanha, a tempestade matou um homem de 69 anos a oeste de Frankfurt. Na Bélgica, um homem foi morto pela queda de uma árvore em Jodoigne, na região de Bruxelas.

A tempestade, que se formou no Oceano Atlântico, chegou no sábado ao litoral português com menos violência que o previsto, mas provocou uma vítima: uma criança, que morreu na queda de uma árvore em Paredes (noroeste).

Na Espanha, a tempestade Xynthia deixou três mortos. Uma mulher de 82 anos faleceu no sábado ao cair de um muro na localidade de Vilar de Barrio, na Galícia (noroeste), enquanto dois homens, 51 e 41 anos, morreram na província de Burgos após bater de carro contra uma árvore que caiu na estrada.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade