2 eventos ao vivo

Suspeito admite ter disparado em acampamento na Noruega

23 jul 2011
14h01
atualizado às 16h18

A policía da Noruega informou nesta sábado que o suspeito atirar contra jovens em um acampamento em Utoya admitiu ter feito os disparados. De acordo com as autoridades, Anders Behring Breivik estaria colaborando com as investigações e já teria admitido alguns feitos. A polícia da Noruega disse que o suspeito se rendeu assim que o encontrou na ilha.

Suspeito de tiroteio é norueguês
Suspeito de tiroteio é norueguês
Foto: Reuters

Também neste sábado a polícia informou ter encontrado a fazenda em que Anders vivia, cinco sacos fertilizantes e que no começo de maio ele teria comprado seis toneladas de fertilizantes da Central de compras agrícolas. Peritos trabalham no local para encontrar vestígios da bomba que explodiu um prédio do governo em Oslo.

A polícia norueguesa identificou Anders Behring Breivik como um norueguês de 32 anos com "opiniões hostis ao islã". O suspeito, detido após o massacre na ilha agiu sozinho, segundo as investigações policiais em curso, embora a polícia estivesse buscando um possível cúmplice.

Em uma busca em seu domicílio após os ataques, a polícia encontrou várias mensagens postadas na internet com conteúdo ultradireitista e anti-islã, segundo declarações policiais à cadeia pública NRK. Testemunhas relataram ao mesmo meio que o agressor entrou no acampamento juvenil social-democrata com uniforme da polícia e se identificou como tal para ter acesso ao local.

Anders foi membro do partido Progressista (FrP, da direita populista) e de seu movimento jovem. O homem era também membro de um fórum neonazista sueco na internet, informou um grupo de acompanhamento das atividades de extrema direita da região. A legenda informou que o suspeito, identificado como Anders Behring pela imprensa norueguesa, se afiliou em 1999 e saiu da lista de membros em 2006. Ele também foi o responsável local do movimento juvenil do FrP entre 2002 e 2004, acrescentou o partido.

Neste sábado, O número de mortos nos ataques na Noruega na sexta-feira subiu para 92 informou a polícia do país. A explosão da bomba na capital, Oslo, matou sete pessoas, e o tiroteio em um acampamento na ilha de Utoya matou 85 pessoas.

Tragédia na Noruega
A Noruega viveu na última sexta-feira, dia 22, a maior tragédia do país desde a Segunda Guerra Mundial. Dois atentados deixaram, até o momento, um saldo de 92 mortos. Primeiro, uma bomba explodiu no centro da capital, Oslo, na região onde estão localizados vários prédios governamentais, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenber. Sete pessoas morreram, mas a polícia admite possa haver corpos não resgatados nos prédios.

A segunda tragédia aconteceu em uma ilha próxima da capital, Utoya. Lá, Anders Behring Breivik, um homem de 32 anos vestido com uniforme da polícia, abriu fogo contra jovens reunidos em um acampamento de verão. Ao menos 85 morreram. A maioria pelos tiros disparados. Alguns outros morreram afogados após tentarem fugir nadando. Ele foi detido logo depois, pela polícia, e admitiu o crime. Suspeita-se que o atirador - que é ligado à extrema-direita - também tenha orquestrado o ataque em Oslo.

Fonte: AP AP - The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser copiado, transmitido, reformado o redistribuido.
publicidade